Frei Fidêncio: “O Santuário Frei Galvão já existe no coração de todas as pessoas”

Compartilhe:

Paz e Bem!

No dia de Santo Antônio de Sant’Ana Galvão (25/10), o Ministro Provincial, Frei Fidêncio Vanboemmel, presidiu a Celebração Eucarística, às 9h30, que inaugurou a Alameda Frei Galvão e o novo espaço do monumento ao santo franciscano. Segundo o Reitor Frei Diego Melo, agora os fiéis ganham um novo local de oração e contemplação e não precisam sujar os pés de barro porque ganham uma rua de acesso pavimentada.

A Celebração começou solenemente no Santuário Frei Galvão, em Guaratinguetá (SP), quando Frei Diego apresentou as crianças caracterizadas de Frei Galvão, com o hábito franciscano, e falou do momento importante para os fiéis devotos deste trabalho evangelizador. Ele apresentou Frei Fidêncio, que elogiou a Fraternidade “de mosqueteiros e de corajosos”, e o prefeito de Guaratinguetá, Marcus Soliva, falou da importância do novo Santuário para a cidade.

Animados pela presença da Banda da Aeronáutica, os devotos subiram em procissão até o monumento para onde foi levada a grande imagem de Frei Galvão, que foi abençoada, assim como alameda. Ali foi celebrada a primeira Missa. Com as inaugurações de hoje e o plantio de três mil mudas de árvores da Mata Atlântica no Parque Laudato Si’, concluiu-se a primeira etapa de construção do novo Santuário de Frei Galvão.

O Ministro Provincial contou que ali veio à sua memória o ano de 1998, quando, no Parque de Exposições, no Clube dos 500, em Guaratinguetá, comemorava-se a beatificação de Frei Galvão. “E todos nós estávamos na torcida para que chegasse a canonização. A canonização chegou e os frades, sempre preocupados, se perguntavam ‘como vamos cuidar do nosso santo, do nosso confrade’. Quis a Providência Divina, quis a Arquidiocese de Aparecida, quiseram os padres que aqui trabalharam, que a nossa Província assumisse esse Santuário. Então, colocamos aqui três mosqueteiros, três jovens frades, corajosos, audaciosos, baixinhos, mas valentes. Então, graças a Deus, estamos aqui reunidos celebrando pela primeira vez a solenidade de Frei Galvão como Frades Menores, como Província. E, sem dúvida, aquilo que a gente sonhou há tanto tempo hoje se tornou realidade”, confessou.

“O Santuário Frei Galvão já existe. Ele existe no coração de todas as pessoas. E a união de todas as pessoas vai nos ajudar a concretizar aquele Santuário visível que está na nossa imaginação, que não foge dos teus sonhos, nem dos sonhos dos confrades daqui”, acrescentou Frei Fidêncio, lembrando o tema do Capítulo Provincial que acontecerá em novembro, na Província da Imaculada fala do sonho. “Nós estamos aqui reunidos exatamente como pede o tema do nosso Capítulo Provincial: ‘Juntos construímos sonhos’, porque uma pessoa sozinha, como diz o Papa Francisco na Fratelli tutti, pode ter miragens. Mas quando a gente sonha juntos, podemos concretizar o sonho. E o grande sonho é ver construído o nosso Santuário Frei Galvão que já existe no coração de todas as pessoas”, enfatizou, agradecendo a Fraternidade do Santuário e ao povo de Guaratinguetá.

Frei Fidêncio destacou algumas virtudes nas orações da celebração litúrgica deste dia. “Ó Deus, Pai de misericórdia, que fizeste de Santo Antônio de Sant’Ana Galvão um instrumento de caridade e de paz no meio dos irmãos, concedei-nos, por sua intercessão, favorecer sempre a verdadeira concórdia”, citou ele. “Nós estamos aqui diante desta grande imagem para nos recordar exatamente o homem que, no seu tempo, tempo do Brasil colonial, foi para toda a Igreja o homem da caridade, o homem da paz, porque foi assim que o Santo Padre o Papa João Paulo II o definiu na beatificação.

Segundo o celebrante, mais do que nunca precisamos construir a paz. “Mais do que nunca necessitamos de reconciliação. Não apenas nós, criaturas humanas, mas em comunhão com toda a criação, para que possamos ter este olhar divino sobre tudo e todas as coisas”, disse. Ele pediu também uma ‘verdadeira concórdia’ como diz a oração. “É isso que pedimos a Deus por intercessão de Santo Antônio de Sant’Ana Galvão”, ressaltou.

O segundo pedido destacou da prece do Ofertório: “Ó Deus de bondade, que destruindo o velho homem criastes em Santo Antônio de Sant’Anna Galvão um homem novo segundo a vossa imagem, dai que possamos, igualmente renovados, oferecer este sacrifício de reparação”.

Frei Fidêncio, então, lembrou um pensamento do Seráfico Pai São Francisco, que, segundo ele, Frei Galvão viveu com muita intensidade. “Diz São Francisco: ‘Considera o homem a que grandeza Deus te colocou neste mundo, criando-te e formando-te à sua imagem e semelhança’”. Toda vez que viermos a este Santuário e contemplarmos essa belíssima imagem, queremos ver nela este homem novo, criado à imagem e semelhança e pedir também: Santo Antônio de Sant’Ana Galvão construa em mim esse homem novo”, acrescentou o Ministro Provincial.

No Evangelho desta liturgia, Jesus louva o Pai do Céu porque ele esconde as grandes coisas dos sábios e inteligentes, mas revela aos simples, humildes e pequenos. “Foi isso que Frei Santo Antônio procurou ao longo de sua vida. Renovar exatamente em nós o homem novo. E nós renovamos este homem novo quando somos capazes de colocar sobre os nossos ombros o jugo de Nosso Senhor Jesus Cristo. ‘Tomai sobre vós o meu jugo porque eu sou manso e humilde de coração’. Esta é a imagem do homem novo. O homem que carrega nos seus ombros o jugo de Nosso Senhor Jesus Cristo, o jugo da mansidão, o jogo da humildade. Claro que nós vivemos num mundo onde muitas vezes o jugo é difícil, ele é pesado, porque eu carrego tantos problemas, tantas enfermidades. Como foi duro durante esta pandemia e ainda está sendo carregar a Covid dentro dos nossos lares, dentro das nossas famílias? Como é duro vermos tanta gente querida partindo de uma hora para outra sem uma despedida digna? Isso foi um jugo pesado. Mas não é este o jugo de Nosso Senhor Jesus Cristo. ‘Tomai sobre vós o meu jugo’. Para sermos exatamente como Cristo, a exemplo de Santo Antônio de Sant’Ana Galvão, homens mansos e mulheres mansas e humildes de coração”, ensinou.

Também no final lembrou a oração após a comunhão, destacando que “vamos aprender com Santo Antônio a viver neste mundo uma vida nova de cristãos”.

Frei Diego, que presidiu a Celebração Eucarística, transmitida ao meio-dia pela TV Canção Nova, confessou: “Quando nós chegamos aqui fomos sentindo que existia um grande sonho de todo esse povo. O sonho à altura do grandioso santo Frei Galvão, o sonho de construir um novo santuário”, disse, revelando sua alegria de ver que o “povo de fé” está voltando com o arrefecimento da pandemia. Segundo ele, 25 ônibus de romeiros estiveram no Santuário.

Ele recordou o dia 5 de junho, quando foi lançada a pedra fundamental do novo Santuário com o plantio de 20 mudas de árvores. Mas agora, segundo ele, 3 mil mudas da Mata Atlântica foram plantadas no Parque Laudato Si’. “Essa construção material vai ser como o crescimento dessas árvores e o crescimento dessas árvores tem que falar do crescimento espiritual, o crescimento do nosso coração”, observou.

Para o frade, foram meses de muito trabalho. “Além das melhorias do nosso Santuário, a pintura externa de todos os espaços, a pavimentação sonhada – e depois vai continuar lá embaixo, além deste santuário -, houve um grande trabalho empreendido. Máquinas, prá lá e prá cá, perfuraram todo o chão. Muitas coisas vocês não verão mais, porque está tudo enterrado. Tubulações enormes, a drenagem, a terraplanagem moveu caminhões e caminhões de terra para outro lado. O nosso sonho, como franciscanos, com o cuidado do meio ambiente, foi realizado com as 3 mil mudas de árvores da Mata Atlântica. Daqui três ou cinco anos, aquilo que a gente vê como uma mudinha, vai começar a se tornar um lindo bosque, um parque para vocês caminharem com a família, contemplar Deus na natureza”, disse.

“Nós dissemos e reafirmamos: antes de começarmos qualquer construção de um novo santuário, precisávamos restaurar o maior e mais belo santuário que foi feito pelo Maior Arquiteto, o mais perfeito Paisagista: Deus. Por isso começamos cuidando de uma nascente que está ali. Plantamos essas árvores e agora temos um compromisso: como comunidade precisamos cuidar daquilo. Não deixar que ninguém fira aquelas mudas que estão pequenas. Cuidar para evitar as queimadas. Tudo isso que estamos celebrando hoje tem que se estender num grande cuidado com o nosso maior e belo santuário, que é a nossa Casa Comum, o nosso Planeta Terra”, conclamou Frei Diego.

O frade também falou com alegria da inauguração do novo espaço para a imagem de Frei Galvão. “Lá onde ele está é quase o lugar definitivo dele. Foi feito uma base de 2 metros de altura e agora nós vamos inaugurar este espaço. Depois ele vai mais um pouco para trás, onde será feito um grande monumento. Vai ter até um elevador para levar os peregrinos até o ponto alto do terreno. É mais um espaço de devoção e oração entregue a vocês”, garantiu Frei Diego.

O prefeito Marcus Soliva recordou que foram poucos meses que Frei Diego assumiu o “comando da construção” deste grande Santuário como reitor. “Desafiador né, Frei, a gente ver depois de anos aguardando o início da construção dessa grande obra. E a gente vê na figura de Frei Diego a figura de Frei Galvão, um construtor. Frei Galvão, como Patrono da Construção Civil, construiu um Mosteiro da Luz que as pessoas jamais imaginavam que ele conseguiria construir”, recordou.

Segundo ele, o filme sobre a vida de Frei Galvão mostra a inacreditável rapidez com que a obra avançava. “Parecia que as pessoas se multiplicavam em 24 horas de trabalho por dia. A impressão era essa. Mas era a fé em Deus e Frei Galvão, a ajuda divina, que é o que estamos vendo aqui”, constatou.

Segundo o prefeito, como Poder Público e comandante de uma cidade, também precisa cuidar dos seus concidadãos na retomada da economia, depois de um período de sofrimento com essa pandemia. “A Covid não acabou, mas já diminuiu muito. Então, hoje podemos dizer que temos a situação controlada. Agora temos que controlar a outra situação: a volta da empregabilidade. A gente sabe da importância do turismo da fé. Nós estamos aqui no meio do vale da fé. Por aqui passam em períodos normais mais de 16 milhões de pessoas. Estamos investindo também nessa infraestrutura com o aeroporto de Guaratinguetá, as vias do entorno, para preparar a cidade. Precisamos ser acolhedores, termos uma cidade preparada para receber bem as pessoas que vêm à casa de Frei Galvão, que vem à terra de Frei Galvão, a nossa Guaratinguetá”, avaliou, parabenizando Frei Diego “pelo empreendedorismo e por ter dado já essa alavanca importante para o desenvolvimento da construção deste Santuário”.

“Nós, como Poder Público, somos parceiros. A gente sabe da importância da participação do Estado. As leis dizem que o estado tem que ser laico, mas não obrigatoriamente ser ateu. Então, somos tementes a Deus, somos devotos de Frei Galvão e temos que apoiar e trabalhar para que este santuário seja uma realidade mais rápido possível”, revelou.

O dia festivo no Santuário começou com a Missa da Aurora; teve a Missa da inauguração da Alameda Frei Galvão, às 9h30; a bênção dos ciclistas, às 11h30; a Missa do meio-dia com transmissão pela Canção Nova; Missa da Campanha Família Missionária de Frei Galvão, às 15 horas; uma carreata às 16h30 pela cidade; e o encerramento da solenidade com a Missa presidida pelo Arcebispo de Aparecida Dom Orlando Brandes e transmitida pela TV Aparecida, às 18 horas.

Fonte: Fotos da Equipe de Comunicação do Santuário e texto de Moacir Beggo | publicado em franciscanos.org.br

Posts Relacionados

Facebook

Instagram

Últimos Posts

X