Frei Alessandro: “O amor não tem medida; a vingança mata a alma e envenena”

Compartilhe:

Paz e Bem!

No último dia 13 de junho, a Igreja proclamou a festa de Santo Antônio, um dos mais populares e queridos santos. Ele é invocado como santo dos pobres, Padroeiro dos casais, dos namorados, dos padeiros, de tantos homens e mulheres; é também Doutor da Igreja e grande Franciscano. A Missa das 15h foi presidida pelo Frei Alessandro Dias e contou com a presença de muitos devotos. O Frei deu a bênção aos pães de Santo Antônio e todos deram muitos vivas ao nosso querido santo.

A Eucaristia iniciou com o canto: “a Palavra de Deus nos convida, os reúne na Ceia Sagrada, comunhão do Pão Forte da vida, segurança de nossa jornada… Santo Antônio do pão da pobreza, santo bom que ninguém deixa só, vem gritar: ‘falta pão nesta mesa!’, roga a Deus, pelo povo tem dó. Santo Antônio do pão dos sofridos e da gente que a fome devora, vem ouvir do Brasil os gemidos, vem depressa, teu povo te espera”. Uma expressão belíssima do atual cenário que vivemos. Celebrar a vida de um santo é recordar que nós também somos chamados à santidade, por isso peçamos a ele sua intercessão”

Na homilia, Frei Alessandro começou explicando a liturgia da palavra do dia. “Não devemos prejudicar os outros, pela lógica se alguém me machucou eu vou e machuco ela também, é o ‘olho por olho’, porém não devemos ser assim, sem exagero. A vingança, como diz o ‘Seu Madruga’, mata a alma e envenena, ou seja, não dá sentido a nossa vida, traz amargura para nossa vida. Jesus esta dizendo que devemos ter um jeito próprio de agir, com sabedoria, sem enfrentar aquele que é malvado. Temos que desarmar pessoas que só querem o mal… O amor não tem medida. O amor e o perdão precisam estar reinando em nosso coração”, na sequência falou sobre a vida e os ensinamentos de Santo Antônio.

“Por que Santo Antônio é tão querido assim no Brasil e no mundo inteiro? Havia em minha turma de aspirantado, em 2000 quando entrei no seminário, um rapaz da minha turma, o nome dele era Fernando, ele dizia que era ‘fã de Santo Antônio’ e que Santo Antônio era mais importante que São Francisco, que fazia mais milagres que Francisco… Logo após a morte de Santo Antônio, não passou nem um ano, ele já foi canonizado pelo Papa Gregório IX, mas ele foi uma pessoa diferente do Rei Acabe descrito na leitura, que aspirava ganância…”, explicou Frei Alessandro.

Ao final da Missa, houve a bênção e aspersão com água abençoada.

Posts Relacionados

Facebook

Instagram

Últimos Posts

São Boaventura: uma voz ainda atual

Por ocasião do 750º aniversário da morte de São Boaventura , que celebraremos no dia 15 de julho de 2024, foi publicada a Carta dos Ministros Gerais

X