Os afagos e provocações de Dom Sevilha

Compartilhe:

alto

Moacir Beggo

Vila Velha (ES) – Na sua primeira celebração durante a Festa da Penha, o bispo auxiliar da Arquidiocese de Vitória, Dom Rubens Sevilha, OCD, brindou um Campinho lotado de fiéis e romeiros com uma reflexão bem ao seu estilo: ao mesmo tempo que afagou, provocou e questionou.

Este terceiro dia de homenagens à Mãe de Deus e Virgem da Penha teve a coordenação da região pastoral de Cariacica/Viana. Dom Sevilha presidiu a celebração tendo como concelebrantes sacerdotes desta área pastoral, os frades do Convento da Penha, do Santuário do Divino Espírito Santo e os frades de Colatina. O tempo nublado ajudou e o povo deu outra grande demonstração de fé, beleza e devoção.

Na sua homilia, Dom Sevilha falou da nossa alegria em ter Jesus Ressuscitado caminhando conosco, da mensagem de Páscoa que “tudo vai terminar bem”, e que o céu é fazer as pessoas felizes.

PRA TUDO TEM UM JEITO

Segundo Dom Sevilha, estamos num tempo especial da Igreja, onde celebramos, na alegria da Páscoa, Nossa Senhora das Alegrias.

“Por que esta alegria da Páscoa? Há um ditado popular que a gente fala assim: ‘Pra tudo tem jeito, menos para a morte’. Pois não é verdade! A morte tem solução, sim, a ressurreição de Jesus venceu a morte. Pois vejam: nascer, todo  mundo nasce; morrer, todo mundo morre; agora, ressuscitar dos mortos, eu quero ver. Aí é só Jesus, verdadeiro Deus e verdadeiro homem, que leva ao Pai a nossa humanidade”, disse o celebrante.

Segundo D. Sevilha, a alegria desse tempo, é que nenhum ser humano está sozinho ou jogado na vida. “Você nunca vai ser um jogado na vida ou abandonado. Pode todo mundo abandonar você, mas Deus não vai abandoná-lo. Porque você tem um pai que é Deus, você tem uma mãe que é a Mãe de Jesus e temos Jesus que caminha conosco. Ele disse: ‘Eis que estarei convosco até o final dos tempos’. Ele está no meio de nós”, disse o bispo, destacando a eloquência de Pedro na primeira leitura ao pedir conversão e perdão dos pecados. “Que bonito ver Pedro assim, ele que estava acanhado na Semana Santa! Ele mudou e também nós vamos mudando”, acrescentou.

sevilha

TUDO VAI TERMINAR BEM

Segundo o bispo, a mensagem da Páscoa, pode ser resumida numa frase: tudo vai terminar bem. “O nosso mundo vai terminar bem, a nossa história humana vai terminar bem, a sua vida vai terminar bem. Tudo vai terminar bem porque é Deus quem nos conduz. E se alguém perguntar: como vai terminar bem? E essas guerras, esses martírios de cristãos em tantas partes do mundo? Quantos males em nosso país, em nosso estado, com a corrupção, com essa roubalheira toda, como é que vai terminar bem?”, perguntou.

Para Dom Sevilha, as guerras, a violência, e tantas maldades, tudo isso é do homem. “Tudo isso é do ser humano. E tudo o que é do ser humano cai por terra, fica para trás. O mal não vence. Essa é a esperança e a força do cristão. Nós não estamos sozinhos”, enfatizou, reforçando que Deus é mais forte.

O bispo, contudo, fez uma ressalva: “Mas cuidado! Tem gente aqui que ouviu essa frase “tudo vai terminar bem” e, feliz, pensou assim: ‘Que bom, então tudo vai terminar como eu quero!’. Eu não disse que tudo vai terminar como você quer. Tudo vai terminar como Deus quer. E é por isso que tudo vai terminar bem, porque será como Ele quer, porque quando nós queremos nem sempre queremos o bem. Ou melhor, nós erramos. E Senhor vai corrigindo nossos erros. O Senhor nos ensina a caminhar na alegria de Nossa Senhora das Alegrias”, disse D. Sevilha.

Referindo-se ao Evangelho, falou do choro de Maria Madalena no sepulcro e recordou a frase que marcou o início do Pontificado de Francisco ao falar desse choro. Segundo o Papa, “às vezes as lentes, os óculos com os quais nós vemos Jesus, são as lágrimas”. Para D.Sevilha, é com essas lentes que podemos enxergar Jesus. “Na caminhada da nossa vida, há momentos difíceis, de lágrimas, de dor, mas o Senhor está sempre perto. Nada nos separará do amor de Cristo. O nosso erro, sim, nos separa. Você pode abandonar a Deus, mas Deus não vai abandonar você. Você pode virar as costas para Deus e se afastar, mas Deus nunca vai virar as costas ou se afastar de você. Então, mesmo nas lágrimas, mesmo nos momentos difíceis, Deus está lá”, ensinou.

povo

O CÉU É FAZER AS PESSOAS FELIZES

Ao encerrar sua homilia, lembrou uma frase de Dom Luciano Mendes de Almeida, bispo cujo processo de beatificação já está em andamento. “E ele disse o seguinte: ‘Descobri que o céu é fazer as pessoas felizes’. Olha que bonito! Sua família é um céu? Você está no céu? Se você está fazendo os outros felizes, a sua vida vai virar um céu. Agora, o contrário: Se você é uma pessoa egoísta, não quer fazer os outros felizes. Sabe aquela pessoa dentro de casa, marido ou mulher, que só quer a sua vontade e, quando é contrariado ou contrariada, fica nervoso, nervosa, com raiva, xinga, fecha a cara, fica uma semana sem falar com ninguém. Esta pessoa está vivendo num purgatório”, ressaltou.

E o bispo fez a pergunta: Você está no céu ou no purgatório? “Se você está no purgatório, não está sendo verdadeiro cristão, não está querendo a felicidade dos outros, mas a sua felicidade. Para o pai de família, a felicidade sua é a da família; a felicidade pessoal não interessa. Ela passa para o segundo lugar. Para a mulher, são os filhos, os netos. Se a sua família for feliz, você vai estar no céu. Você não se casou para ser feliz, você se casou para ser pai, mãe, avó, avô, para fazer a sua família feliz. Fazendo isso, você vai estar no céu. Infelizmente, somos egoístas: eu quero eu, a minha vontade, e aí não seguimos o Mestre: ‘Eu vim para servir’, que nós repitimos tanto na Campanha da Fraternidade”, lembrou.

D. Sevilha finalizou com mais questionamentos: “No seu trabalho, na sua vida profissional, você está no céu? Isto é, você está lá para fazer os outros felizes? Você é aquela pessoa que, quando chega, as pessoas se sentem bem? Você é aquela pessoa que leva paz, alegria, esperança ou é aquela pessoa amarga, azeda, que reclama, xinga? Que cristão você é? Descobri que o céu é fazer os outros felizes, amém!”, completou. A Missa terminou com uma bonita encenação das 7 Alegrias de Nossa Senhora.

gilson

OITAVÁRIO: UM PEDACINHO DO CÉU

No terceiro dia do Oitavário da Festa da Penha, antes da Santa Missa, os frades conduziram o momento devocional franciscano. Nesta terça-feira, a Fraternidade Franciscana de Colatina preparou a reflexão. O guardião Frei Gilson Kammer refletiu sobre o lugar sagrado que se tornou o Morro da Penha com a devoção trazida por Frei Pedro Palácios. “Ele fez daqui, da casa da Mãe de Deus, um lugar sagrado”, lembrou. Ao tratar do tema da família, exortou a todos que também tornem suas famílias sagradas. “Hoje Deus inspira a cada um de nós a encontrar o lugar sagrado que é a nossa casa. Que a nossa família possa ser um lugar de perdão e paz. Que Nossa Senhora nos ajude a viver a nossa sagrada família. Que nossas famílias possam ser um pedacinho do céu, como é este Santuário do perdão e da graça”, finalizou Frei Gilson.

ROMARIA DOS MILITARES

O quarto dia da Festa da Peha terá Missas na capela às 6h00, 7h00, 8h00 e 9h30. A Romaria dos Militares, que seria realizada hoje, foi transferida para sexta-feira, com saída às 14 horas da Prainha. Às 14h30 terá início o Oitavário e, em seguida, a Santa Missa, coordenada pela área pastoral de Benevente. As confissões serão atendidas das 8h00 às 11h00 e das 14h00 às 16h00.

VEJA MAIS IMAGENS NO FACEBOOK DO CONVENTO DA PENHA

https://www.facebook.com/penhaconvento

Posts Relacionados

Facebook

Instagram

Últimos Posts

São Boaventura: uma voz ainda atual

Por ocasião do 750º aniversário da morte de São Boaventura , que celebraremos no dia 15 de julho de 2024, foi publicada a Carta dos Ministros Gerais

X