DEVOÇÃO: As Sete Alegrias de Nossa Senhora

Compartilhe:

Paz e Bem!

A Igreja Católica reserva o sábado para rezar, meditar e refletir os mistérios da Encarnação a partir da vida de Maria, a Mãe de Deus e de toda a Igreja. Os ensinamentos da Virgem Maria e seu modo de viver são sinais do amor do próprio Senhor. Faz parte de um dos costumes mais antigos traçados para honrar Maria aos sábados, embora ela seja digna de devoção todos os dias.

De acordo com a tradição, a Igreja tem por costume dedicar o Sábado a Nossa Senhora pelo fato de ter sido no primeiro Sábado Santo, que Ela viveu sem ter Jesus vivo. Esse dia foi considerado o Sábado da solidão, do deserto, da morte, da angústia e do luto. Foi o dia em que Maria Santíssima sofreu pela ausência de seu Filho. Foi também o dia anterior a uma das grandes alegrias de Maria, que ela vê o Cristo Ressuscitado.

O costume franciscano destaca sete momentos em que o coração de Nossa Senhora se enche da mais pura alegria, esses momentos são as Sete Alegrias de Maria.

A HISTÓRIA

Em 1442, no tempo de São Bernardino de Siena, se difundiu a notícia de uma aparição da Virgem a um noviço franciscano. Este, desde pequeno, tinha o costume de oferecer à bem-aventurada Virgem uma coroa de rosas. Quando ingressou entre os Irmãos Menores, sua maior dor foi a de não poder seguir oferecendo à Santíssima Virgem esta oferenda de flores. Sua angústia chegou a tal ponto que decidiu abandonar a Ordem Seráfica. A Virgem apareceu para consolá-lo e lhe indicou outra oferenda diária que lhe seria mais agradável. Sugeriu-lhe recitar a cada dia sete dezenas de Ave Marias intercaladas com a meditação de sete mistérios gozosos que ela viveu em sua existência. Desta maneira teve origem a coroa franciscana, Rosário das sete alegrias.

São Bernardino de Sena foi um dos primeiros a praticar e difundir esta devoção, que para ele era fonte de grandes favores. Um dia enquanto recitava esta coroa apareceu-lhe a Santíssima Virgem e com inefável doçura lhe disse que gostava muito desta devoção e o recompensava com milagres para converter os pecadores: “Te prometo fazer-te partícipe de minha felicidade no paraíso”. A coroa franciscana medita os sete gozos de Maria: a anunciação, a visita a Santa Isabel, o nascimento de Jesus em Belém, a adoração dos Magos, a apresentação de Jesus no templo e a manifestação de sua divindade entre os doutores do templo, a ressurreição de Jesus e sua aparição à Virgem, a vinda do Espírito Santo, a Assunção de Maria em corpo e alma ao céu, e a coroação de Maria como rainha do céu e da terra, medianeira de graças, mãe da Igreja e soberana do Universo.

Foto: Zanete Dadalto

REZEMOS AS SETE ALEGRIAS DE MARIA

Oferecimento

Ó piedosíssima Virgem Maria, purificai nossos lábios e nossos corações, para que possamos, dignamente, recitar a coroa de vossas alegrias. Nós vo-la oferecemos, para gloriar-vos, para implorar vosso auxílio, pelas necessidades da Igreja e de nosso País para satisfazer em tudo, a justiça divina. Nós nos unimos a todas as intenções do Sagrado Coração de Jesus e do vosso Coração Imaculado.


A primeira Alegria de Maria: a Anunciação pelo Anjo Gabriel

Saudamos-te como o Anjo Gabriel, “Ave Maria, cheia de graça o Senhor está contigo…”. E logo te disse: “… Conceberás em teu seio e darás a luz um filho a quem porás o nome Jesus”, seguida da tua aceitação: “Eis aqui a escrava do Senhor, faça-se em mim segundo vossa palavra”. Assim nos mostraste o caminho a seguir: Aceitar a nossa vida como Deus nos apresenta cada dia, vivendo com amor tanto as alegrias como as dificuldades. Como o fez São Francisco quando aceita docilmente sua missão, respondendo com todo seu ser ao chamamento de Jesus.

A Segunda Alegria de Maria: a Visita a sua prima Isabel

Recordamos contigo quando em Judá, foste à casa de Zacarias e saudaste Isabel. Ela, ao ouvir-te, ficou cheia do Espírito Santo, e o menino saltou no seu ventre. Recebemos-te como o fez Santa Isabel: “Bendita sois vós, entre todas as mulheres e bendito é o fruto de vosso ventre Jesus”. Rogamos-te que venhas sempre a visitar-nos, para nos trazeres Jesus e o seu Santo Espírito. Como Francisco quem te nomeou Advogada da família Franciscana e assim realizar vossa missão de tutora, vos pedimos rogai por nós.

A Terceira Alegria de Maria: o Nascimento de Jesus em Belém

Contigo Maria e com São José, alegramo-nos por este presente que nos destes, nesta noite de paz e amor. Com os anjos e pastores digamos: “glória a Deus nas alturas e na terra paz aos homens de boa vontade”. E como Francisco, revivamos a maravilhosa cena do nascimento de Jesus, enchamos nosso coração de alegria e amor, repartindo a todos.

A Quarta Alegria de Maria: a Adoração dos Reis Magos

Vemos com alegria que três sábios acreditam, e com humildade adoram ao Menino Deus, oferecendo-lhe ouro, incenso e mirra, como homenagem e reconhecimento ao Rei, ao Deus e ao homem. Nós, junto aos reis, queremos adorar ao vosso Filho Divino, e render-lhe homenagem com nossas orações, como Francisco, queremos estar alegres, jubilosos e adorar a Deus que se fez carne e habitou entre nós!”

Quinta Alegria de Maria: Maria e José encontram Jesus no templo

Que alegria sentimos contigo ao encontrar a Jesus e poder abraça-lo, como vós o encontraste no Templo! Queremos repetir como São Francisco, que regozijado dizia: “é isto mesmo que eu buscava, é isto o que deseja meu Coração “. Maria, quando nos sentirmos perdidos, longe de Jesus, ajudai-nos a encontra-lo dentro de nós e em toda a criação, como o refletia Francisco no Cântico a Criaturas.

A Sexta Alegria de Maria: Maria vê a Jesus Ressuscitado

Contigo Maria, nos alegramos por Cristo ressuscitado, luz: “que ilumina a todo homem que vem a este mundo”. Ele é o caminho, a verdade e a vida. Como Francisco queremos enchernos de amor por vosso Filho e sempre dizer: “Senhor meu e Deus meu”. “Meu Deus e meu tudo!”

Sétima Alegria de Maria: a Assunção de Maria e sua Coroação

Que alegria sentimos contigo Maria, porque elevada ao céu estás junto a vosso filho amado, sois Co-redentora, intercessora e auxiliadora nossa. Tu, humilde mortal, agora Rainha de céus e terra, mostras-nos, o caminho e vos dizemos: “Oh, Maria, Mãe minha, eu vos dou meu Coração”. Como Francisco, esperamos receber a coroa da Vida.


Oração final

Lembrai-vos, ó puríssima Virgem Maria, que nunca se ouviu dizer que algum daqueles que tenha recorrido à Vossa proteção, implorado a Vossa assistência e reclamado o Vosso socorro, fosse por Vós desamparado. Animado eu, pois, de igual confiança, a Vós, Virgem entre todas singular, como a Mãe recorro, de Vós me valho, e, gemendo sob o peso dos meus pecados, me prostro aos Vossos pés. Não desprezeis as minhas súplicas, ó Mãe do Filho de Deus humanado, mas dignai- Vos de as ouvir propícia e de me alcançar o que Vos rogo. Amém.

Orações em honra à Virgem Santíssima:

 TODA BELA

Toda bela sois, ó Maria!
Em vós não há pecado original.
Vós sois a glória de Jerusalém.
Vós sois a alegria de Israel.
Vós sois a honra de nosso povo.
Vós sois a advogada dos pecadores.
Ó Maria!
Virgem prudentíssima!
Ó Mãe benigna!
Rogai por nós.
Intercedei por nós ao Senhor Jesus Cristo.


SAUDAÇÃO À MÃE DE DEUS (São Francisco de Assis)

Salve, ó Senhora santa, Rainha santíssima, Mãe de Deus, ó Maria, que sois Virgem perpétua, eleita pelo santíssimo Pai celestial, que vos consagrou por seu santíssimo e dileto Filho e o Espírito Santo Paráclito! em vós residiu e reside toda a plenitude da graça e todo o bem!

Salve, ó Palácio do Senhor!
Salve, ó Tabernáculo do Senhor!
Salve, ó Morada do Senhor!
Salve, ó manto do Senhor!
Salve, ó serva do Senhor!
Salve, ó Mãe do Senhor, e salve vós todas, ó santas virtudes derramadas, pela graça e iluminação do Espírito Santo, nos corações dos fiéis, transformando-os de infiéis em servos fiéis de Deus!


ANTÍFONA A NOSSA SENHORA (São Francisco de Assis )

Santa Virgem Maria, não há mulher nascida no mundo semelhante a vós, filha e serva do altíssimo Rei e Pai celestial, Mãe de nosso santíssimo Senhor Jesus Cristo, esposa do Espírito Santo: rogai por nós com São Miguel Arcanjo e todas as Virtudes do céu e todos os santos, junto a vosso santíssimo e dileto Filho, nosso Senhor e Mestre.

Posts Relacionados

Facebook

Instagram

Últimos Posts

Aquele 13 de maio de 1981

Paz e Bem! Quarenta anos atrás, o dramático atentado ao Papa João Paulo II na Praça São Pedro. Um dia que entrou na memória coletiva

X