As donas da Festa da Penha

Compartilhe:

alto

Moacir Beggo

Vila Velha (ES) – As emoções não dão refresco na Festa da Penha. Depois de ver a grande manifestação dos homens, que se estendeu até a madrugada deste domingo, foi a vez das mulheres mostrarem por que são as donas da festa da Penha. Pelo menos, historicamente, diz-se que a Romaria dos Homens foi criada porque eles não participavam das celebrações da festa durante a semana e resolveram fazer isso aos sábados. É assim até hoje. As mulheres fazem de tudo para estarem perto de sua Mãe e Mãe de Deus.

E também resolveram que poderiam se unir para homenagear juntas, em romaria, a Virgem da Penha. Mas com uma diferença: a festa delas reúne beleza, fé, alegria, devoção e muito colorido.

Com bolas coloridas, elas se concentraram às 14h00 em frente ao Santuário do Divino Espírito Santo, outra casa franciscana em Vila Velha, e caminharam por cerca de uma hora até o Parque da Prainha, onde aconteceu o último dia do Oitavário e a Santa Missa, celebrada por Dom Rubens Sevilha, tendo como concelebrantes os frades franciscanos e sacerdotes da Arquidiocese.

Fotos Moacir Beggo

Segundo os organizadores, a Romaria colocou cerca de 80 mil pessoas nas ruas e lotou o Parque da Prainha, num espetáculo belíssimo no final de tarde de sol e céu azul em Vila Velha.

Antes da celebração eucarística, o guardião e reitor do Convento e Santuário da Penha, Frei Valdecir Schwambach, presidiu o último dia do Oitavário, num dos momentos de devoção mais belos da Festa. Neste ano, a família foi o tema durante esta celebração franciscana.

Dom Sevilha, sempre muito à vontade, conquistou as mulheres logo no início de sua homilia: “Eu tenho um recado para as mulheres que estão aqui e foi Jesus que mandou dar esse recado. Ele mandou dizer que você é linda!”, disse, recebendo uma salva de palmas. “Você é linda porque é filha de Deus. Já viu o Pai achar a filha feia? (risos) Você é linda de Deus. Você é linda porque é forte. Quantas mulheres cuidam sozinhas da família? Elas enfrentam, corajosas, todas as dificuldades fazendo o papel de mãe e pai”, acrescentou.

alto4

“Ai da Igreja Católica se não fossem as mulheres. (aplausos) Nós sabemos disso. Claro, às vezes criam alguns probleminhas (risos)”, brincou.

Para o bispo, o sentido de fazer a caminhada é caminhar com Deus e juntos. “Na primeira leitura, os apóstolos cristãos tinham um só Deus e uma só alma.  Este é o sonho de Deus. Este é o sentido da romaria, das procissões. Nós caminhamos juntos, caminhamos unidos num só coração, numa só alma. E Nossa Senhora no meio. Deus caminha conosco e nós caminhamos com Ele. E mais: não caminhamos sem rumo sem direção. Nós caminhamos para um lugar certo: para a casa de Deus, para um encontro com Deus. É para lá que caminhamos. E neste caminho da vida vamos superando as dificuldades e os problemas com a força de Deus”, explicou.

Fotos Moacir Beggo

Neste domingo da misericórdia, D. Rubens falou sobre o tema. “Todos erramos, todos pecamos. Jesus nos acolhe e perdoa. Por isso, muita paciência e misericórdia dentro de sua casa, de sua família. Muita compreensão”, pediu.  Mas deu um conselho para as mães que têm filhos adultos e ficam preocupadas com os erros dele. “Não fiquem! Ele é culpado pelos erros dele. Não se culpem. Eu não vou dizer “não sofram”, não. Mãe sofre pelos erros de um filho. Sefrer mas não se culpar! Qual é o papel de mãe de filho adulto.  Rezar por eles e dar bom exemplo. Só. Falar não adianta. Agora, rezar por eles, sim. Colocar o coração nas mãos de Deus e de Nossa Senhora, ela que é Mãe vai entender você. Mãe com mãe se entendem”, disse, quando a homilia foi interrompida porque uma grávida passou mal no meio da multidão.

Ainda refletiu um pouco sobre o Evangelho, lembrando que os discípulos estavam com medo e trancados, quando Jesus entrou e disse: “A paz esteja com vocês”. Todos nós temos medos. Medo do futuro, da violência, dessa insegurança, desemprego. Mas o Senhor está conosco e diz a ‘paz esteja convosco’. É ele que nos fortalece. Aí ele soprou sobre os apóstolos. É esse o sopro de Deus, como vimos lá do antigo Testamento. Alguns estão precisando deste sopro. Estão desanimados, estão sem fé. Eu dizia que é pela fé que somos vitoriosos. O sopro de Deus quer  uma vida de esperança”, disse.

Segundo o bispo, o povo capixaba e brasileiro precisa de muita esperança. No caso do Espírito Santo, D. Rubens lamentou a liderança do estado na violência contra a mulher.

O abraço a Júlia e Yara
O abraço a Júlia e Yara

“Nós devemos trabalhar para mudar essa cultura, esse modo de comportamento e aconselho minha querida mãe. Você, na sua casa, comece a educar o seu filho homem de uma maneira diferente para que ele não seja machista. Comece a educar o seu filho para que ele respeite a mulher, respeite o outro, para que seu filho compreenda que diante de Deus, homem e mulher, somos todos iguais. Com a mesma dignidade. A diferença nossa é humana. Somos diferentes humanamente, mas diante de Deus somos exatamente iguais e cabe a você, já, educar seu filho, seu neto, nesse respeito pela mulher para que se pare com esse machismo, essa violência, esse desrespeito com a mulher no nosso Estado (aplausos). Eduque também a sua filha desde pequena para que ela saiba defender a dignidade dela no lugar dela. Para que ela saiba se fazer respeitar na sua casa”, completou, apresentando, no que chamou um dia de graça especial, a presença de sua mãe.  “Primeiro porque tenho aqui a mãe do Céu, a minha Mãe. E segundo porque tenho aqui, por uma graça especial, a minha mãe da terra, a mulher mais especial da minha vida”, disse abraçando sua mãe, Dª Judite Sevilha. Ele ainda brincou com as mulheres: “Bispo tem mãe também!”.

D. Sevilha ainda proporcionou outro momento de muita emoção quando deu um longo abraço e abençoou as meninas – Julia (4 anos) e Yara (5 anos) – que fizeram uma homenagem a Nossa Senhora vestidas com o seu manto. Elas estavam acompanhadas pela mãe mãe Lilian Pereira e avó que cumpriam uma promessa.  Uma das meninas teve câncer e foi curada e a outra está em processo de cura. A celebração terminou com um pedido de paz.

Às 19 horas, Frei Floriano Mariano de Toledo, que é querido por todos pela animação durante as festas da Penha, fez o seu primeiro grande show  depois do lançamento do seu primeiro CD.

A Festa da Penha chega ao seu oitavo e último dia nesta segunda-feira (13), quando acontece a Romaria dos Ciclistas, com saída de Cobilândia, em Vila Velha. A missa de encerramento acontece às 16h, na Prainha, com show do Padre Fabio de Mello logo depois.

A PROGRAMAÇÃO DO DIA DA PADROEIRA

Missas na Capela: 0h00 (meia-noite), 2h00, 6h00, 9h00 e 12h00
7h00: Campinho – Missa da CRB e Seminário Nossa Senhora da Penha
Romaria: Ciclistas – saindo 8h30 de Cobilândia
9h00: Bandas de Congo homenageiam a Padroeira no Campinho e recebem a bênção.
10h00: Campinho – Missa das Pastorais
16h00: Prainha – Missa de encerramento da Festa de Nossa Senhora da Penha
Shows na Prainha após a Missa
Obs: Confissões: 8h00 às 11h00 (Capela da Penitência) e 14h00 às 16h30.
Show com Pe. Fábio de Melo após a missa

 VEJA IMAGENS DA ROMARIA DAS MULHERES

MAIS FOTOS DA ROMARIA DAS MULHERES

VEJA MAIS IMAGENS NO FACEBOOK DO CONVENTO DA PENHA

https://www.facebook.com/penhaconvento

Posts Relacionados

Facebook

Instagram

Últimos Posts

São Boaventura: uma voz ainda atual

Por ocasião do 750º aniversário da morte de São Boaventura , que celebraremos no dia 15 de julho de 2024, foi publicada a Carta dos Ministros Gerais

X