Apelo do Papa: Gaza no limite, não às armas e sim à paz

Compartilhe:

Após a Audiência Geral desta manhã, Francisco renovou seu apelo pelo fim do conflito em Israel e na Palestina e pediu “por um cessar-fogo humanitário imediato”. O Papa incentivou as partes envolvidas a retomarem as negociações, e encorajou a um comprometimento urgente para fornecer ajuda humanitária à população de Gaza, “que está no limite”.

“Renovo meu apelo por um cessar-fogo humanitário imediato e incentivo todas as partes envolvidas a retomarem as negociações, e peço a todos que se comprometam urgentemente a levar ajuda humanitária à população de Gaza, que está no limite. Há muito sofrimento ali! Que todos os reféns que viram esperança na trégua de alguns dias atrás sejam libertados: que esse grande sofrimento para israelenses e palestinos chegue ao fim. Por favor, não às armas, sim à paz”. 

Foi esse o apelo do Papa no final da Audiência Geral desta quarta-feira, 13 de dezembro, ao recordar que continua acompanhando “com grande preocupação e dor” o conflito entre israelenses e palestinos. Francisco também exortou para que não se esqueça de “pedir o dom da paz para as populações que estão sofrendo por causa da guerra, especialmente para Israel, a Palestina e a martirizada Ucrânia”.

Memória litúrgica de Santa Luzia, celebrar a amizade e o testemunho cristão

Recordando que hoje a liturgia comemora Santa Luzia, virgem e mártir, Francisco destacou que “em algumas regiões da Itália e da Europa é costume trocar presentes nesta ocasião por causa da proximidade do Natal” e convidou todos “a dividir o dom da amizade e do testemunho cristão”.

Ao dirigir-se aos fiéis de língua portuguesa, o Papa encorajou os lusófonos a continuar a dar, com fé, o testemunho cristão na sociedade. “Deixai-vos guiar pelo Espírito Santo, para crescerdes repletos dos seus frutos. De bom grado abençoo a vós e aos vossos entes queridos”, afirmou Francisco.

Fonte: Vatican News – Thulio Fonseca

Posts Relacionados

Facebook

Instagram

Últimos Posts

São Boaventura: uma voz ainda atual

Por ocasião do 750º aniversário da morte de São Boaventura , que celebraremos no dia 15 de julho de 2024, foi publicada a Carta dos Ministros Gerais

X