TH: A missão dos homens do terço é florescer onde Deus os plantar

Compartilhe:

Paz e Bem!

O Convento da Penha tem se confirmado, cada vez mais, como o Santuário do encontro de gente disposta a recitar as Ave Marias, de homens e mulheres que encontraram na Penha Sagrada a Casa da Mãe que acolhe, abraça e intercede por todos. O Convento é porto seguro, é lugar de perdão, de amor, de ternura.

Celebrando com alegria a festa de Nossa Senhora de Guadalupe e de Nossa Senhora da Imaculada Conceição, os tercistas das paróquias Guadalupe, Vila Velha; Bom Pastor, Imaculada e Santíssima Trindade de Linhares, rezaram pedindo pelo fim da pandemia, pelas paróquias e elevaram ao céus a prece por todos os homens que praticam no dia a dia a oração dos mistérios do Rosário. Na ocasião, refletiram os Mistérios Gloriosos.

Todos os meses os grupos de terço dos homens de paróquias e comunidades da Arquidiocese de Vitória irão se reunir aos pés do Convento da Penha para a meditação do Santo Rosário. Os encontros devem acontecer sempre próximos de festas marianas.

“A Coordenação Estadual do Terço dos Homens entendeu a oportunidade de ter sempre, mensalmente, grupos de homens do terço rezando, a partir daqui, do Convento da Penha, o Santuário do Perdão e da Graça. Os homens do terço vêm aqui rezar, lembrados agradecidamente, da predileção de Deus pelo seu povo. Nossa Senhora de Guadalupe é o retrato da identificação da Mãe Deus com o seu povo. Somos gratos! Deus nos ama como nós somos”, explicou o Guardião do Convento, Frei Paulo Roberto Pereira, na abertura do encontro deste sábado (12/12).

Frei Paulo afirmou ainda que “a missão do homens do terço é rezar pela sociedade, família e pela própria vocação para continuar sendo sal da terra e luz do mundo, florescer onde Deus os plantar”.

A partilha da Palavra do encontro foi feita pelo membro da comunicação do movimento TH-ES, Glayson Lozer. Ao refletir o Evangelho do dia (Lc 1,39-47), o tercista explicou que “Nossa Senhora nos mostra uma missão e traz o sentido de primeira missionária, já que o Evangelho narra que Maria vai as pressas pelas montanhas, sai para servir e comunicar a Boa-Nova a sua prima Isabel. Nós levamos essa missão a todos os homens, todas as criaturas.”

Glayson disse que nos nossos dias falta muito diálogo, entendimento e a compreensão entre os povos, as nações. “O Papa Paulo VI nos lembra na Encíclica Ecclesiam Suam, de 6 de agosto de 1964, nos coloca o caminho do diálogo, do cuidado, a pobreza ao Evangelho, a caridade que é a maior virtude”.


Posts Relacionados

Facebook

Instagram

Últimos Posts

São Boaventura: uma voz ainda atual

Por ocasião do 750º aniversário da morte de São Boaventura , que celebraremos no dia 15 de julho de 2024, foi publicada a Carta dos Ministros Gerais

X