#tbt2020 | No dia de São Francisco, frades plantam árvores no Convento

Compartilhe:

Paz e Bem!

O dia 4 de outubro de 2020 entrou para a história do Espírito Santo e para a missão franciscana nessas terras. Celebrando o dia de São Francisco de Assis, Patrono da Ecologia e protetor da natureza, a fraternidade franciscana do Convento realizou o plantio de três árvores no Convento.

Como hoje é dia de #tbt e estamos na Semana de São Francisco de Assis

Os 50 hectares de Mata Atlântica preservada agora contam com mais árvores. Foram plantadas na manhã de domingo (4) duas palmeiras imperiais no Campinho e um Jequitibá-Rosa (Cariniana legalis – Mat – Kuntze) na subida da Estrada da Penitência. O plantio faz parte das comemorações da festa em honra à São Francisco de Assis e foi pensada como uma forma de contribuir com o planeta e com o Tempo da Criação.

Ao final da Missa, Frei Paulo Roberto Pereira, explicou que “quando Frei Pedro Palácios chegou a este lugar, por indicação divina, ele deveria construir a casa da Mãe de Deus no lugar onde houvesse duas palmeiras e ele escolheu este monte, esta montanha, essa pedra firme. A firmeza da pedra, o vigor que sustenta toda construção é o próprio Jesus Cristo. As palmeiras marcam o lugar escolhido por Deus. As palmeiras também são sinais da longevidade, da eternidade que almejamos e além disso as palmeiras no nosso país, sobretudo, são sinais da diversidade. Nosso bioma brasileiro contém uma diversidade infinita de palmeiras. É sinal da escolha de Deus, é sinal da longevidade que queremos para todos, vida plena para todos, é sinal da diversidade que devemos nos respeitar dentro das nossas diferenças”.

Pietra Casagrande Schettino ao nascer em 2012, ganhou de seu pai, uma muda de Jequitibá-Rosa, plantada em 2010. Pietra ajudou a cuidar e aprendeu a amá-la, assim como a natureza. Agora, depois de oito anos, Pietra e seus pais Luiz Fernando Schettino e Maria Leila Casagrande, trouxeram a muda para seu habitat: a floresta do Convento da Penha, símbolo de fé, devoção e amor a Deus, à vida e à natureza, mas a menina continuará a amar esta e todas
árvores para sempre.

A atitude da pequena garota mostra a preocupação dos pequenos em relação ao cuidado com a Casa Comum, sobretudo quando essa atitude deixa explícito que a educação ambiental, de casa e das instituições de ensino, é fundamental para a construção de uma sociedade consciente e ecologicamente preocupada com as futuras gerações.

Plantar árvores não é apenas uma maneira de contribuir com a criação, vai muito além. É uma resposta ao sonho de Deus, que ao criar o mundo e as belezas naturais, deu ao ser humano a tarefa do cuidado. Cuidar da criação perfeita do Pai é se atentar ao seu sonho e projeto para a humanidade.

A muda  foi produzida em 2010 de sementes oriundas do Sul do Estado e cuidada pelo Professor Luiz Fernando desde então com o pensamento de que se ele viesse a ter filho(a) que este(a) pudesse aprender com ela o amor a natureza e, desde sempre foi pensado plantá-la no Convento da Penha, por ser esta espécie “Símbolo por Lei do
Estado do Espírito Santo”, a Lei Estadual nº 6.146, de 08 de fevereiro de 2000 (clique para ler), que declara o jequitibá-rosa, árvore símbolo do estado do espírito santo, institui o dia estadual do jequitibá-rosa para o dia 21 de Setembro.

A árvore foi plantada em saco plástico e depois passou para vasos, sucessivamente trocados, conforme o crescimento da mesma e, consequentemente, com o aumento das necessidades da planta com seu crescimento. A árvore foi mantida em vaso, com a finalidade de ser plantada no momento oportuno, pela pequena Pietra, no Convento da Penha, visando contribuir para a consciência ambiental.

O destaque da planta é que ela atinge uma longevidade grande, podendo viver muitos anos, e segundo alguns estudos, pode ultrapassar a idade de 500 anos. No entanto, há registro de indivíduos com mais de 3 mil anos, no
estado de São Paulo existe uma árvore com 4.500 anos.

Para o Governador do Estado, o “jequitibá-rosa é uma árvore imponente e bonita, estando em sintonia com o que é o Espírito Santo, além disso a atitude de plantar demonstra também aquilo que é proteção do meio ambiente. Mostra também que as futuras gerações estão preocupadas com a destruição dos biomas brasileiros, mas ao vermos crianças como a Pietra, de novo renovamos nossas esperanças de proteção ao ambiente”.


Fotos: Marcos Antoniazi

Posts Relacionados

Facebook

Instagram

Últimos Posts

São Boaventura: uma voz ainda atual

Por ocasião do 750º aniversário da morte de São Boaventura , que celebraremos no dia 15 de julho de 2024, foi publicada a Carta dos Ministros Gerais

X