#tbt: Missa no Convento marca os 40 anos de martírio de Franz de Castro

Compartilhe:

Paz e Bem!

O Convento da Penha realizou na última sexta-feira (29/01) , uma Missa por ocasião dos 40 anos de martírio do Servo de Deus e Mártir das APACs (Associação de Proteção e Assistência aos Condenados), Franz de Castro, assassinado em 14 de fevereiro de 1981, quando intermediava uma rebelião em Jacareí-SP. Ele nasceu  em Barra do Piraí-RJ, em 18 de maio de 1942, ele foi advogado e vice-presidente da associação citada e muito querido pelos movimentos populares locais.

A celebração faz parte da “Jornada da Esperança”, um movimento lançado no dia 11 de setembro de 2020, em São José dos Campos-SP, com objetivo de resgatar a memoria de Franz de Castro Holzwarth. A Jornada é uma forma de animar as APACs e a FBAC (Fraternidade Brasileira de Assistência aos Condenados), uma vez que recuperandos e recuperandas, voluntários, funcionários, parceiros, amigos e colaboradores, têm o exemplo de Franz.

A principal meta da Jornada é clamar a Deus para que Franz de Castro possa chegar à Glória dos altares da Igreja, através de sua beatificação. Para isso, a organização prevê uma série de atividades e eventos, como a Missa no Convento da Penha, a peregrinação com uma cruz, palestras, reflexões bíblicas e uma Celebração Ecumênica em Cachoeiro de Itapemirim.

De acordo com organizadores, o “Mártir da Pastoral Carcerária”, como ficou conhecido, lutava incansavelmente em defesa dos encarcerados e contra qualquer tipo de violência, principalmente a praticada contra os condenados. Um de seus lemas de vida era: “A minha vida, eu daria em garantia e em alívio para muitos sofrimentos”.

A Cruz Peregrina e a foto de Franz de Castro chegou ao Espírito Santo na manhã do dia 29. A Jornada se encerra no dia 14 de fevereiro de 2021.

Durante a Missa, Frei Paulo Roberto Pereira, Guardião do Convento, falou da importância de ter pessoas como exemplo de caminho a seguir. “Que seu exemplo de dedicação e de vida seja exemplo para todos nós, caminho para todos nós!”, enfatizou o Guardião.

Assista a reportagem especial abaixo.


Quem é Franz de Castro Holzwarth?

Servo de Deus Franz de Castro Holzwarth « Diocese São José dos Campos

Franz de Castro Holzwarth era o filho mais velho do casal Franz Holzwarth e Dinorah de Castro Holzwarth. Nasceu em Barra do Piraí – RJ, aos 18 de maio de 1942. Em 10 de agosto do mesmo ano foi batizado, na Igreja de São Benedito e com 08 anos recebeu a 1ª Eucaristia, na Igreja de Santa Teresinha. Começava assim, na vida do pequeno Franz a história de um grande cristão.

Aos 14 anos começou a trabalhar e em 1963, iniciou o curso de Direito na Fundação Valeparaibana de Ensino, em São José dos Campos. Residiu e trabalhou inicialmente em Jacareí e, mais tarde, passou a residir e trabalhar, pastoralmente em São José dos Campos, onde, em 1975, ingressou na APAC – Associação de Proteção e Assistência aos Condenados. Desde então, seus esforços, o seu tempo e tudo em sua vida foi dedicado a esse apostolado.

Certa vez, em meados de 1967, escreveu para um padre amigo: “Entretanto, o que importa para mim na vida é Cristo, e levá-lo aos outros como sacerdote. Há, em mim, um desejo de doação total. Espero em Deus que se faça sua vontade. Estou disposto para o que Ele me chamar…” E assim, buscando discernir sua vocação, Franz foi cursar o diaconado no Convento Sagrado Coração de Jesus, dos padres Dehonianos, em Taubaté-SP.

Consumiu sua vida neste serviço até o ano de 1981, quando, no dia 14 de fevereiro, enquanto tentava evitar o derramamento de sangue durante uma rebelião de presos na cadeia pública de Jacareí, ele e Mário Ottoboni, foram chamados para intermediar as negociações. Era grande a tensão entre os presos e a polícia, até que um terrível tiroteio ceifou a vida do Servo de Deus. Foi barbaramente assassinado.

Morria um homem e nascia um Mártir, um exemplo de vida, de solidariedade, de amor e presença cristã. Franz cumpriu sua última missão como homem de paz e justiça.

A partir desse fato, sua história ganhou novo matiz, tornando-o conhecido popularmente como mártir da Pastoral Carcerária. Devido a isso e atendendo a solicitação daqueles que conheceram de perto a vida e o apostolado de Franz de Castro, a Diocese de São José dos Campos, iniciou no dia 06 de março de 2009, o Processo de Beatificação deste Servo de Deus. Como parte do processo, aconteceu, no dia 12 de novembro de 2013 a trasladação dos restos mortais de Franz de Castro para a cidade de São José dos Campos, com sua entronização na Igreja Matriz de São José, onde repousa aguardando a decisão da Igreja quanto à sua santidade postulada como exemplar para todos os demais cristãos.

O processo de Beatificação

O processo de Beatificação do Servo de Deus Franz teve início em 06 de março de 2009, pela Diocese de São José dos Campos-SP. Na sessão, foi feito o pedido para a introdução da causa, a aceitação por parte do bispo e a nomeação do Tribunal que irá investigar a fama de martírio e de santidade do Servo de Deus. O Tribunal diocesano é constituído pelos seguintes membros: padre Rogério Augusto das Neves, juiz delegado; padre Antônio Silva França,  promotor de Justiça; Regina Araújo, notária atuária e Irmã Diva Moura, notária adjunta.

Cerca de 300 pessoas, entre familiares de Franz de Castro, seus amigos, membros da Federação das APACs e lideranças da diocese, lotaram o auditório do seminário, para acompanhar a única sessão pública, naquele ano. A fase diocesana do processo seguiu em sigilo até o seu encerramento no dia 22 de dezembro de 2010. A duração do processo dependeu da quantidade de testemunhas ouvidas e das providências necessárias para a investigação. Nesta fase, testemunhas indicadas pelo postulador serão foram interrogadas pelos membros do tribunal, a fim de reunir documentação que foram enviadas para a Congregação das Causas dos Santos, na Santa Sé.  Para a causa de Franz de Castro, foi designado o padre Riccardo Petroni, em Roma; o postulador nomeou vice-postulador desta Causa, na Diocese, o padre José Candido Pereira.

Posts Relacionados

Facebook

Instagram

Últimos Posts

São Boaventura: uma voz ainda atual

Por ocasião do 750º aniversário da morte de São Boaventura , que celebraremos no dia 15 de julho de 2024, foi publicada a Carta dos Ministros Gerais

X