#TBT da Festa da Penha 2021: Três homens valentes, vocês não estão sozinhos!

Compartilhe:

Paz e Bem!

De 4 a 12 de abril, realizamos a 451ª edição da Festa da Penha 2021. Em todo seu dinamismo, vivacidade e experiência de fé, a festa da padroeira do Espírito Santo traz sempre emoção e homenagens. Como hoje é dia de #tbt, vamos recordar um momento muito especial e emocionante que aconteceu na Missa das 9h, do 7º dia (10/04) do Oitavário de Nossa Senhora da Penha.

Frei Gustavo Medella, Vigário da Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil, presidiu a Eucaristia. Além do mistério Pascal e as intenções do povo que assistia a Missa, o presidente da celebração dedicou a sua prece à fraternidade do Convento da Penha.

Na Oração da Coleta, Frei Gustavo pediu que se colocassem na frente, “Três homens valentes: Frei Pedro Engel, Frei Alessandro Dias e Frei Pedro Oliveira. Estes três confrades, na dor da perda de um irmão, administrando toda a situação de enfermidade que se instalou na fraternidade, ainda levando adiante a missão de conduzir de animar e de acolher na Festa da Penha, atender a imprensa, dirigir os momentos de prece e oração, estão sendo muito valentes. Então por eles eu peço um instante da nossa oração silenciosa que a mãezinha do céu olhe para eles sempre com muito amor… Deus lhes pague queridos confrades, vocês não estão sozinhos, o olhar materno da Mãe, e a oração do povo. Muito obrigado!”.

Esse gesto, carregado de emoção e simbolismo, trouxe ainda mais presente a palavra, ou melhor, o sentimento de gratidão. Os três precisaram encontrar forças para realizar a Festa da Penha, num contexto absolutamente difícil e desafiador. Com a ausência de seus três confrades (Frei Luiz Flávio, que estava internado desde março e infelizmente faleceu na quinta-feira da Oitava da Páscoa; Frei Paulo César, diagnosticado com covid-19, precisou internar na Sexta-feira da Paixão do Senhor; e Frei Paulo Roberto, Guardião, também testado positivo para covid-19, precisou de cuidados médicos desde o Domingo de Páscoa). Além da questão emocional, sobrecarregou bastante a questão das tarefas na festa, ou seja, foi necessário uma reprogramação para “dar conta de cumprir com tudo”.

Eles, além de guerreiros e valentes, também foram grandes figuras na condução de todos os dias das festividades da Festa de Nossa Senhora da Penha. Certamente essa experiência ficará guardada na memória e nos corações de todos.

Dando sequência a Santa Missa, Frei Gustavo brindou a todos com uma bela reflexão. O tema do dia, foi o ‘Olhar de Reencontro de Maria’. “Ao reencontrar o seu filho no templo, o sentimento de aflição, some e dá espaço ao sentimento de tranquilidade, porque reencontrou algo precioso que estava procurando. Colocando-nos no lugar de Nossa Senhora, podemos perguntar que tipo de reencontro estou procurando, que tipo de reencontro eu estou precisando nesse momento da minha vida. Nesse tempo difícil que estamos vivendo, não é difícil pensar nisto”.

Continuou o frei: “Nosso Brasil, está tão carente de reencontros. Reencontrar a paz, entre os brasileiros que tem brigado tanto, se ofendido tanto por motivos tão banais, tão secundários. Brasileiros que tem cultivado tantos sentimentos de ódio. Temos que reencontrar a paz, a alegria e a generosidade que continua existindo dentro de nós. Vamos dar espaço, para que os bons sentimentos venham a tona, vamos abandonar aquilo que nos divide, aquilo que nos aranha, que nos machuca, como os moralismos e principalmente os moralismos religiosos ou perigosos quando em nome de Deus cometemos injustiças, quando o nome de Deus serve para mascarar a maldade que habita dentro de nós”.

“Não vamos perder do nosso horizonte este nosso desejo de nos reencontrarmos com o Senhor, que deixemos espaço para que o nosso coração se sinta preenchido, como se sentiu o coração de Maria ao reencontrar o seu filho. Cada um de nós precisamos ser promotores desses encontros, que sejam promotores de vida, pela generosidade pelo perdão, pela acolhida. Ainda que a distância, um tchauzinho de longe, para mostrar que não estamos sozinhos”, explanou Frei Gustavo e completou: “vá ao socorro de quem precisa. Não perca essa oportunidade de ser vida e salvação”.

Posts Relacionados

Facebook

Instagram

Últimos Posts

Aquele 13 de maio de 1981

Paz e Bem! Quarenta anos atrás, o dramático atentado ao Papa João Paulo II na Praça São Pedro. Um dia que entrou na memória coletiva

X