Recordação: Sr. Theodoro do Bandolim, um devoto de Nossa Senhora

Compartilhe:

Paz e Bem!

Hoje não é quinta-feira, dia de #tbt, mas vamos recordar o dom da vida do aposentado devoto de Nossa Senhora da Penha Sr. Theodoro Effgen. É festa no céu! Se estivesse entre nós (fisicamente) o músico voluntário estaria completando 94 anos de vida. Trazemos presente uma memória com duas canções tocadas por ele.

Theodoro, ou como era conhecido, “Sr. Theodoro do Bandolim”, era músico devoto da Virgem da Penha. Quem costumava participar das Missas da Saúde toda quarta-feira, deve se lembrar do carinho e empenho do aposentado que ficava sentadinho tocando bandolim com a equipe de música. Ele faleceu no dia 20 de agosto de 2019, aos 93 anos, sendo mais de 25 dedicados ao serviço voluntário no Convento da Penha.

Conseguimos resgatar alguns vídeos do acervo pessoal, cedidos pela amiga do Convento, Eroneti Becalli. Este primeiro vídeo foi gravado no dia 13 de outubro de 2017, na tradicional Missa da Saúde.

Este outro vídeo, foi gravado durante o Tríduo de São Francisco de Assis no ano de 2017.

Sr. Theodoro fazia questão de subir aos domingos, para a Missa das 5h, afim de participar da Celebração e como costumava brincar “estava com 39 anos, não 93”. Ele esquecia que suas pernas doíam na subida,  esquecia as dores na coluna e até a superação de um câncer em duas cirurgias, tudo para estar próximo de Nossa Senhora da Penha. “Eu me coloquei nas mãos de Nossa Senhora e ela está me mantendo até hoje”, dizia ele.

Theodoro Effgen nasceu em Guarapari, Espírito Santo. De família alemã, casou com a italiana Belinha, ou Josefina Maria Maiolly, com quem viveu por 78 anos e teve o filho João Bosco. “Mas adotei Vila Velha como a minha cidade. Adoro este lugar, onde estou há mais de 50 anos. Quer maior privilégio do que se levantar e poder olhar para o alto e admirar a morada de Nossa Senhora?”, revelou Sr. Theodoro ainda em 2012. Quando era jovem, seus colegas brincavam com ele chamando-o de “hóstia divina”, por causa da música “Eu te adoro hóstia divina…”

Ele fazia parte de um grupo que há mais de 25 anos participa de celebrações no Convento e em Missas da Festa da Penha em um ato de fé e devoção à Padroeira do Espírito Santo. “Eu passei um tempo visitando o Convento em dias de feriado e domingos. Depois que me aposentei, achei mais tempo e pessoas para me acompanhar, como Jerônimo, de 74 anos, uma pessoa que considero um grande irmão e passou a fazer o musical do Convento na Missa das 6h. Como ele é cantor e eu músico, formamos uma dupla e tocamos por muito tempo todos os dias nessa Missa. Depois ainda encontrei outro grupo maravilhoso e me integrei”, relata Theodoro em entrevista ao jornalista Sullivan Silva.

Por fim, vamos relembrar uma reportagem especial feita pelo Gazeta Online.

Sr. Theodoro do Bandolim deixou um legado e um grande exemplo para todos.

Posts Relacionados

Facebook

Instagram

Últimos Posts

X