Paixão e Morte do Senhor – 19 de abril

Compartilhe:

Paz e Bem!

Jo 18,1—19,42

“Prenderam Jesus e o amarraram. Conduziram Jesus primeiro a 
Anás. Não és tu também um dos discípulos dele? Pedro negou: 
‘Não!’ O meu reino não é deste mundo. Viva o rei dos judeus! 
Fora! Fora! Crucifica-o! Ali o crucificaram, com outros dois. 
Repartiram entre si as minhas vestes. Este é o teu filho. Esta é 
a tua mãe. Tudo está consumado. E logo saiu sangue e água. 
Envolveram o corpo de Jesus com aromas, em faixas de linho”.

Deus não criou a humanidade porque precisasse dela, mas para ter
alguém que pudesse receber os seus benefícios. Da mesma forma,
não foi por necessitar dos nossos serviços que Jesus nos mandou
segui-Lo, mas para dar-nos a salvação. E de fato nos deu. No
entanto, Jesus foi desprezado e condenado pelos homens. O
pecado, por um instante, pareceu triunfar, mas inclinando a
cabeça, Jesus entregou ao Pai seu espírito. O grão de trigo caiu
na terra e morreu, mas para dar lugar à nova vida. Por sua morte
restituiu à vida a humanidade inteira corrompida pelo pecado. De
seu lado aberto pela lança fez nascer a Igreja que continua a
repetir seus gestos. Por sua morte temos a vida.

Jesus é o caminho que nos leva ao Pai. Ele vem dar-nos a
salvação. Vamos trazer à consciência tamanho amor com que Ele
nos amou e não mais desprezá-lo, mas buscá-lo e amá-lo e seus
benefícios recairão sobre nós.

Reflexão feita pelos noviços

Noviciado São José

Rodeio – SC

Posts Relacionados

Facebook

Instagram

Últimos Posts

São Boaventura: uma voz ainda atual

Por ocasião do 750º aniversário da morte de São Boaventura , que celebraremos no dia 15 de julho de 2024, foi publicada a Carta dos Ministros Gerais

X