“O Espírito Santo nos liberta do medo”, lembra Papa Francisco no Regina Caeli

Compartilhe:

Antes da oração mariana do Regina Caeli, na Praça São Pedro, Francisco aborda “o medo e a angústia” dos apóstolos no cenáculo, símbolo de Pentecostes, e também o seu remédio, que vem do Ressuscitado: o Espírito Santo, que liberta das prisões do medo, fazendo-nos sentir mais próximos de Deus e do seu amor que “ilumina o caminho, consola, sustenta na adversidade”.

O Evangelho na Solenidade de Pentecostes, recorda o Papa Francisco na alocução que precede a oração mariana do Regina Caeli deste domingo (28), nos leva ao cenáculo, onde os apóstolos se refugiaram após a morte de Jesus (Jo 20,19-23), num contexto de medo e angústia. Ao soprar sobre eles o Espírito Santo, Cristo os liberta desse “fechamento” em casa e em si mesmos, para que fossem capazes de sair e se tornar testemunhas e anunciadores do Evangelho.

“Quantas vezes nós também nos fechamos em nós mesmos? Quantas vezes, por alguma situação difícil, por algum problema pessoal ou familiar, pelo sofrimento que nos marca ou pelo mal que respiramos ao nosso redor, corremos o risco de cair lentamente na perda de esperança e nos falta a coragem para continuar? Muitas vezes acontece isso. E, então, como os apóstolos, nos fechamos, barricando-nos no labirinto das preocupações.”

Os falsos medos que paralisam

Esse “fechamento”, continua o Papa, acontece quando “permitimos que o medo assuma o controle e ‘grite’ dentro de nós” quando situações difíceis se apresentam. Mas não só:

“Irmãos, irmãs, o medo bloqueia, paralisa. E também isola: pensemos no medo do outro, de quem é estrangeiro, de quem é diferente, de quem pensa de outra forma. E pode até ser medo de Deus: medo que me castigue, que fique zangado comigo… Se damos espaço a esses falsos medos, as portas se fecham: portas do coração, as portas da sociedade e até mesmo as portas da Igreja! Onde há medo, há fechamento. E isso não é bom.”

O Espírito liberta das prisões do medo

O remédio, confirma novamente Francisco através da imagem dos apóstolos, cheios do Espírito Santo, que saem pelo mundo para perdoar os pecados e anunciar o Evangelho, vem do Ressuscitado: “o Espírito Santo liberta das prisões do medo”.

“Porque é isso que o Espírito faz: nos faz sentir a proximidade de Deus e, assim, o seu amor afasta o medo, ilumina o caminho, consola, sustenta na adversidade. […] Diante dos medos e dos fechamentos, então, invoquemos o Espírito Santo por nós, pela Igreja e pelo mundo inteiro: para que um novo Pentecostes afaste os medos que nos assaltam – afaste os medos que nos assaltam! – e reacenda o fogo do amor de Deus.”

Fonte: Vatican News – Vatican Media | Andressa Collet

Posts Relacionados

Facebook

Instagram

Últimos Posts

São Boaventura: uma voz ainda atual

Por ocasião do 750º aniversário da morte de São Boaventura , que celebraremos no dia 15 de julho de 2024, foi publicada a Carta dos Ministros Gerais

X