Natal de Jesus: a Festa da Luz para todos

Compartilhe:

Paz e Bem!

O Natal, é uma dessas festas contagiantes e agregadoras. Nesse período todos tem ao menos algum motivo para festejar: o ano que foi bom, o dom da vida, o novo emprego ou a nova oportunidade, o novo membro da família, o ano que chegou ao fim, cada um ao seu jeito celebra. Dificilmente alguém fica de fora.

É bonito ver as famílias reunidas, muitas virtualmente por conta da pandemia de covid-19, as casas enfeitadas com guirlandas, bolas, e sinos de natal, árvores, boa música, comida e presentes, solidariedade com os mais necessitados, sobretudo com as crianças. As famílias mais religiosas montam o presépio. Enfim, entre luzes e cores acontece a festa. É Natal!

Origem do Natal

O Natal remonta a uma antiga festa pagã do hemisfério norte, “solis invicti”, sol invicto radiante, deus oficial do Império Romano.

Essa comemoração acontecia nas noites dos dias 24 e 25 de dezembro, sendo os dias mais longos que as noites “O solstício de inverno (no hemisfério norte) é a noite mais longa do ano, o momento em que os dias começam de novo a crescer, uma vitória simbólica do sol contra a escuridão”

No século IV, “a data do natal, foi fixada em 25 de dezembro pelo imperador Constantino, porque nesse dia era celebrada a grande festa solar em Roma”

Então, aproveitou-se a antiga festa pagã do “nascimento do sol invicto” e uniu-se ao culto cristão dando a ela um significado novo. Agora o Sol nascente não e mais uma criatura (os astros: Sol, Terra, Marte), mas é o próprio Deus, Jesus Cristo, Senhor da história, Príncipe da paz.

O Natal associado a Jesus não tem primeiramente finalidade histórica em dar a conhecer a data ou elementos relacionados ao nascimento de Jesus de Nazaré. Em outras palavras, não visa dizer quando Jesus nasceu, mas indica por que Jesus nasceu.

A festa cristã do Natal como nascimento de Jesus está em função da Páscoa, Cristo ressuscitado foi elevado por Deus como Luz das nações. Em Cristo, sol que não tem ocaso, se inicia uma nova criação. Assim o nascimento de Jesus é também o nascimento de um mundo novo reconciliado, onde o mal, injustiças, mortes, um dia terão seu fim!

Um mundo onde todos podem voltar a sorrir de novo e sonhar com tempos novos de paz e alegria.

A cada ano que se celebra o Natal se renova a consciência de, em Jesus Cristo, sermos novas criaturas. Ele com sua luz expulsa as trevas de nossa existência e transforma tudo em nós. Pois “o povo que andava na escuridão viu uma grande luz, para os que habitavam as sombras da morte uma luz resplandecente” (Is 9, 1).

Natal: luz para todos, é o convite para renascermos em Jesus Cristo que nos visita na fragilidade de um menino.

Texto: Frei Canga Manuel Mazoa, OFM

Posts Relacionados

Facebook

Instagram

Últimos Posts

Aconteceu na Penha em 1750…

Paz e Bem! Sempre às sextas-feiras conhecemos um pouco mais sobre a tradição, a história e a expressão de fé do povo capixaba. Estamos destacando

X