Ministro Provincial abre a 444ª Festa da Penha

Compartilhe:

Moacir Beggo

Vila Velha (ES) – Neste domingo de Páscoa, 5 de abril, repetiu-se pela 444ª vez a grande homenagem à Mãe de Deus como queria o franciscano Frei Pedro Palácios. Coube ao Ministro Provincial da Província Franciscana da Imaculada Conceição, Frei Fidêncio Vanboemmel, presidir a celebração Eucarística que marcou a abertura da Festa da Penha como fez Frei Pedro Palácios em 1571.

A equipe de músicos e cantores formada para a Festa, sob a liderança de Frei Florival Toledo e Frei Paulo Ferreira, esteve impecável. Já o guardião do Convento da Penha, Frei Valdecir Schwambach, presidiu o Oitavário, o momento devocional franciscano que antecedeu a Santa Missa. Sempre muito à vontade, ele acolheu com carinho os fiéis devotos da Penha. Na abertura, um momento sempre emocionante e belo é a procissão com a imagem de Nossa Senhora da Penha, que sai em procissão da Capela São Francisco de Assis, a residência de Frei Pedro Palácios e onde o piedoso frade foi encontrado morto no dia 1º de maio de 1971, até o altar do Campinho.

Esse momento de oração começou  às 14h30 e é composto de cantos a Nossa Senhora; súplicas pelos mistérios realizados a Maria, Mãe de Jesus na devoção que Frei Pedro Palácios trazia consigo; ladainha de Nossa Senhora, orações e bênção. Neste ano, a cada dia do Oitavário, os frades farão uma reflexão sobre o tema da festa deste ano: “Maria, Mãe da Família, Santuário da Paz!”. O guardião Frei Valdecir  falou sobre o tema da festa e lamentou que dentro dos lares haja mas batalhas do que paz. “Como entender a  concorrência ou a rivalidade entre marido e mulher, entre filhos?  É estranho dizer isso, mas acontece.  Não queremos isso. Queremos paz e queremos comunhão”, orientou.

Às 15 horas teve início a Santa Missa, presidida por Frei Fidêncio e concelebrada pelos sacerdotes da área pastoral de Vila Velha, entre eles os frades do Santuário do Divino Espírito Santo, frades do Convento da Penha e da Província da Imaculada.

“Nós, nesta tarde nos encontramos neste Campinho. Não é um Campinho qualquer. Para vocês, povo capixaba, este Campinho é terra sagrada, um espaço para ficar mais perto da Mãe de Deus e louvar o Senhor da Vida”, disse Frei Fidêncio em sua homilia. O Campinho é onde serão realizadas as principais celebrações do Oitavário até o próximo sábado, com exceção da Missa da Romaria dos Homens (sábado), Missa da Romaria das Mulheres (domingo); e a Missa de Encerramento, que serão na Prainha, um espaço fora do Morro da Penha e próprio para grandes multidões.

Frei Fidêncio lembrou que, ao longo de toda a semana da Oitava da Páscoa, o nosso coração e o nosso olhar se voltarão para a Virgem da Penha, a nossa Senhora das Alegrias, para com ela proclamar o que toda a Igreja canta e reza neste Tempo Pascal: “Rainha dos céus, alegrai-vos, Aleluia! / Porque aquele que merecestes trazer em vosso puríssimo seio, Aleluia! / Ressuscitou como disse, Aleluia! / Exultai e alegrai-vos, ó Virgem Maria, Aleluia!/ Porque o Senhor Ressuscitou verdadeiramente. Aleluia!”

Frei Valdecir Schwambach, o guardião do Convento

Frei Fidêncio falou sobre os protagonistas e testemunhas da Ressurreição do Senhor. Além de Maria Madalena e de cada um dos discípulos, conta uma antiga tradição que o Ressuscitado apareceu antes à sua Mãe Maria Santíssima, que desempenhou um papel decisivo na história da salvação. “Ela não poderia estar ausente deste alegre anúncio Pascal. Maria Santíssima, a Mãe que guardou e viveu no silêncio do seu coração as Sete grandes Alegrias no seguimento de Jesus Cristo (Anunciação, Visita a Isabel, Nascimento de Jesus, Adoração dos Magos, Encontro com Jesus no Templo, Ressurreição, Assunção e Coroação na glória dos Céus), partilha conosco nesta tarde a Alegria de poder ter visto seu Filho Ressuscitado”, explicou o Ministro Provincial.

E, através da Palavra de Deus, Frei Fidêncio indicou como podemos também ser testemunhas do Ressuscitado. Primeiro, sempre buscar o bem como Jesus, pois no final “quem constrói a vida aqui, ressuscitará” e, depois, “viver com muita seriedade a nossa realidade terrena, ter os pés no chão, mas a mente e o coração no céus onde está a nossa morada definitiva”.

E Frei Fidêncio deixou a mensagem final: “A vida e a ressurreição se manifestam onde homens e mulheres estão cheios da presença de Deus”.

O Ministro encerrou a homilia proclamando uma antiga oração mariana. Da mesma forma como o Anjo do Senhor anunciou a Maria o Mistério da Encarnação, agora canta Maria Santíssima na glória, qual protagonista do mistério da Ressurreição:

O Anjo exclamou à Cheia de Graça:

Virgem Pura rejubila!’

De novo digo, rejubila,

teu Filho ressuscitou do túmulo ao terceiro dia.

Resplandece, resplandece, ó Nova Jerusalém,

pois a glória do Senhor, brilhou sobre ti.

Exulta agora, e alegra-te Sião.

E tu, ó Mãe de Deus toda pura,

Rejubila na Ressurreição do teu Filho.»

 

Nesta segunda-feira, 6 de abril, a Festa terá a seguinte programação:

Missas na Capela: 6h00, 7h00, 8h00 e 9h30

14h30: Oitavário e Missa no Campinho do Convento

Obs: Missa coordenada pela Área Serrana

Confissões: 8h00 às 11h00 e 14h00 às 16h00.

VEJA A GALERIA DE FOTOS NO https://www.facebook.com/penhaconvento

 

Posts Relacionados

Facebook

Instagram

Últimos Posts

São Boaventura: uma voz ainda atual

Por ocasião do 750º aniversário da morte de São Boaventura , que celebraremos no dia 15 de julho de 2024, foi publicada a Carta dos Ministros Gerais

X