Hino à Nossa Senhora da Penha foi composto há 62 anos

Compartilhe:

Festa da Penha em 1958 - Foto IHGVV

Paz e Bem!

A partir desta segunda-feira (16) até o próximo dia 22 de novembro, acontece a Semana da Música, uma ocasião que recorda a música em todos os ambientes e dos mais diferentes ritmos. Essa semana é encerrada justamente no dia da Padroeira da Música (Padroeira dos Músicos).

Santa Cecília era de família romana pagã, nobre, rica e influente. Estudiosa, adorava estudar música. Desde a infância era muito religiosa e fez voto secreto de virgindade. Por seu amor à Cristo, Cecília foi condenada para morrer em uma câmara com ar quente para ser asfixiada, porém começou a cantar incessantemente músicas de louvor a Deus e por este motivo e pelo dom de ouvir músicas vindas dos céus, ficou consagrada como padroeira dos músicos.

Já que é a Semana da Música, vamos recordar os 62 anos de composição do Hino de Nossa Senhora da Penha. Sabemos que a missão do Convento se estende para além do aspecto devocional, supera os espaços dos exercícios de piedade, amplifica a dimensão da penitência e das romarias. O Convento, ao longo do tempo, foi convertido no ícone da identidade do povo capixaba; não erra quem diz que todo capixaba tem uma parte do Convento no seu coração. Tais elementos justificam o gigantismo da Festa da Penha, hoje a maior festa religiosa do estado do Espírito Santo.

Na companhia do rosário ou entoando cânticos, milhões de fiéis, devotos de Nossa Senhora da Penha, sobem os 154 metros de altitude para louvar, louvor este que é expresso de diferentes formas. Seja na reza silenciosa ou no canto mais animado, seja nas mãos que se elevam ou nas que se juntam, seja nas canções ou nas orações. A certeza é todos os que visitam o Santuário da Mãe das Alegrias sentem no coração o desejo de louvar.

Primeira Romaria dos Homens – 1958 – Foto IHGVV

Foi o mesmo desejo de louvor que motivou o então Guardião do Convento em 1958, Frei Alfredo W. Setaro a compor o hino à Nossa Senhora da Penha. O frade contou com a ajuda do Padre João Lírio Tagliarico. De acordo com a história, este ano ficou marcado na identidade do povo não só em virtude do hino, mas por ter ocorrido uma das mais empolgantes festas comemorativas já realizadas em solo capixaba: os festejos de 400 anos da chegada de Frei Pedro Palácios ao Espírito Santo. A ideia da canção foi inspirada na tentativa de preservar a memória da chegada de Pedro Palácios, ou seja, a festa da padroeira que já era ininterrupta e realizada há quatro séculos, contaria com ainda mais júbilo e entusiasmo.

Frei Alfredo buscou retratar na letra da música, a realidade e a expressão dos capixabas que visitavam o Convento. As nove estrofes expressam a devoção do povo ao longo dos anos; a certeza da intercessão de Maria; uma declaração de carinho à Santa; o pedido para alívio das dores bem como para o envio de mais sacerdotes e por fim o desejo da eternidade ao lado da Mãe do Salvador.

Em 2018, 60 anos depois, a Festa da Penha trouxe como tema “Virgem da Penha, Minha Alegria”, resgatando o hino que de geração em geração é cantado por milhões de pessoas nas romarias, Missas e no dia a dia do Convento da Penha.


Ouça o Hino à Nossa Senhora da Penha

Letra: Fr. Alfredo W. Setaro, OFM Música: Pe. João Lírio Tagliarico
Solistas: Fr. Paulo César F. da Silva, Roselene G. dos Santos, Ir. Custódia M. Cardoso
CD Hinos e Cantos à Nossa Senhora da Penha Coral Palestrina – Curitiba, PR Regência: Ir. Custódia M. Cardoso ℗ 2006 – Convento da Penha

LETRA

1. Virgem da Penha, minha alegria, Senhora nossa, Ave Maria!
Refrão: Ave, Ave, Ave Maria!
2. Deste teu trono tu irradias, paz e esperança, Ave Maria!
3. És meu refúgio, seguro guia, nas tentações, Ave Maria!
4. A dor que oprime tu alivias; dá-me saúde, Ave Maria!
5. Amar-te quero todos os dias, minha doçura, Ave Maria!
6. Mais sacerdotes. Oh! Mãe envia! Sábios e santos, Ave Maria!
7. Nossas famílias protege e guia; és meu amparo, Ave Maria!
8. Virgem da Penha, tão doce e pia, és padroeira, Ave Maria!
9. Contigo espero estar um dia, na eternidade, Ave Maria!

Posts Relacionados

Facebook

Instagram

Últimos Posts

Aconteceu na Penha em 1650…

Paz e Bem! A história que vamos conhecer hoje, em mais um capítulo da série especial “Aconteceu na Penha”, é de 1650. Sempre às sextas-feiras

Dia de Nossa Senhora das Graças

Paz e Bem! Celebramos hoje Nossa Senhora das Graças, uma manifestação da Santíssima Virgem na França, em julho de 1830 para Santa Catarina Labouré quando

X