Frei Paulo Roberto fala sobre o funcionamento do Convento

Compartilhe:

Paz e Bem!

Durante a pandemia o Convento da Penha não fechou os portões, no entanto, nas transmissões pelas redes sociais a fraternidade tem insistido no apelo que, na medida do possível, as pessoas permaneçam em casa. Ficar em casa é um gesto de cuidado, de caridade, de amor e de respeito com nós mesmos e com o próximo. Este tempo de isolamento social (solidário) nos torna próximos espiritualmente, fortalece nossa intimidade com Deus e ainda possibilita vivermos melhor – com qualidade – os relacionamentos familiares.

Sabemos que muitas pessoas, piedosamente, sobem ao Convento para rezar e têm grande necessidade de estar no Santuário, seja para orações ou para louvor pessoal, os franciscanos acolhem a todos com fraterno carinho, porém, é preciso atentar-se ao intuito da visita ao Convento. Com a proibição da prática de atividade física ao longo da orla das praias, muitas pessoas buscam alternativas e passam a fazer exercícios físicos no Convento.

O Guardião do Convento, Frei Paulo Roberto Pereira faz um alerta importante. O Convento permanece aberto em consideração àquelas pessoas que sobem para rezar, para o encontro pessoal com o Senhor. Ele orienta ainda que todos sigam o que as autoridades sérias do país dizem, sobretudo a Organização Mundial de Saúde (OMS).

Frei Paulo salienta que não é proibido praticar atividade física nas dependências do Convento, no entanto, deve-se observar o cuidado, a atenção, o respeito e a dimensão primeira do local: a oração.

Veja na íntegra o que disse o Guardião.

Posts Relacionados

Facebook

Instagram

Últimos Posts

São Boaventura: uma voz ainda atual

Por ocasião do 750º aniversário da morte de São Boaventura , que celebraremos no dia 15 de julho de 2024, foi publicada a Carta dos Ministros Gerais

X