Frei Paulo Roberto: “com Jesus também somos geradores de vida e de cura”

Compartilhe:

Paz e Bem!

Celebrando o 5º Domingo do Tempo Comum, em uma manhã chuvosa e com neblinas encobrindo as palmeiras imperiais do Campinho, centenas de fiéis subiram à Penha para a tradicional Missa Dominical das 9h. Romeiros, devotos e filhos amados de Nossa Senhora das Alegrias, cumprindo os protocolos exigidos pelas autoridades sanitárias para evitar a transmissão do coronavírus, rezaram aos pés do Santuário. Muitas pessoas também participaram pelas redes sociais, marcando presença virtualmente em grande número.

A Missa foi presidida pelo Guardião do Convento, Frei Paulo Roberto Pereira, com participação também dos freis da fraternidade da Penha. A animação dos cantos ficou por conta da família Barraqui, a mãe Ana e o filho Edigar; família essa que cresceu. Edigar e sua esposa Nataly Gerhardt levaram o pequeno Giuseppe Barraqui Gerhardt que nasceu no dia 27 de dezembro de 2020 (dia da Sagrada Família de Nazaré) e pela primeira vez foi levado ao Convento para ser apresentado à Nossa Senhora.

Durante os Ritos Iniciais, antes da Oração de Coleta (Oração Inicial), Frei Paulo convidou as mamães com seus bebês para serem apresentados à materna proteção de Nossa Senhora da Penha. “Hoje também, com satisfação, lembramos da vida que se renova. Queremos acolher e consagrá-los à materna proteção de Maria a vida do Giuseppe e da Maria… Toda vez que estamos diante de uma criança, percebemos que Deus confia muito em nós e exige de nós mais atenção, mais cuidado um pelo outro. Vamos rezar pelas famílias, a partir das famílias, que a gente aprenda o dom de ser irmão um do outro, irmã uma da outra. Que nossas famílias sejam espaços da cura, do afeto, do cuidado”, disse Frei Paulo.

Veja o momento da apresentação das crianças abaixo.

Já durante a homilia, ao refletir a Liturgia da Palavra diante dos textos bíblicos selecionados para o 5º Domingo do Tempo Comum, o Guardião do Convento começou explicando a narrativa de São Marcos que fala especialmente de “quem é Jesus Cristo”. Frei Paulo enfatizou bastante que Jesus Cristo é “aquele que cura, que prega, que não se instala, pelo contrário, vai para outros lugares afim de que a Boa-Nova chegue a todos os lugares indistintamente. Essas são algumas características de Jesus Cristo. Ele é ‘promessa de Deus cumprida!’, é o Messias, o Salvador, é a razão de nossa existência e do nosso peregrinar por essa terra. Será feliz todo o coração de cada homem e de cada mulher que fizer o encontro pessoal com o Senhor”.

O Frade fez uma associação real do trecho do Evangelho em que Jesus cura a sogra de Pedro, com as inúmeras pessoas que visitam o Convento pedindo ‘cura’. “Muitas pessoas, o ano inteiro vêm a este santo lugar, para estarem na presença do Senhor pedindo cura, vêm rezar pela sua saúde, saúde física, saúde psíquica, sim. Além dessa doença física (que no Brasil já matou mais de 230 mil pessoas – a covid-19), tem também a doença psíquica, a doença do espírito, vamos nos tornando pessoas insensíveis, pessoas irritadiças, pessoas estranhas a nós mesmos e essa doença nem a vacina cura. Ao Convento vêm muitas pessoas buscando a cura e Jesus cura. Saiba, Jesus cura! Venham sempre ao Convento da Penha buscar a cura. O Reino de Deus tem a marca da sanidade, da saúde, da saúde plena. Subam sempre ao Convento, rezem sempre a partir do Convento apra que Deus restaure em nós a saúde física, a saúde psíquica, a saúde espiritual que nos faz irmãos e irmãs”, afirmou Frei Paulo.

“Nossos relacionamentos são isentados de afeto, são isentados de cuidado, de afeto, de preocupação um pelo outro. Nós nos tornamos técnicos. ‘Procura no Google’ o que é, não vai achar. Vai achar no olhar, no colo, no abraço, na mão estendida, na mão que levanta, que sofre junto e se alegra junto. Jesus nos cura, é verdade, nós cremos nisso. Jesus também nos faz capazes de gerar cura, gerar saúde, gerar sanidade, é preciso crer nisso também, senão vira uma caminhada de uma perna só. Na nossa vida de cristãos, cremos que Jesus é a promessa de Deus cumprida e quem crê nessa promessa se faz, como Ele, gerador de vida plena”, finalizou o Guardião da Penha.

Confira a homilia na íntegra abaixo

Posts Relacionados

Facebook

Instagram

Últimos Posts

São Boaventura: uma voz ainda atual

Por ocasião do 750º aniversário da morte de São Boaventura , que celebraremos no dia 15 de julho de 2024, foi publicada a Carta dos Ministros Gerais

X