“Frei Gustavo: O testemunho é algo que se faz pela voz, mas também pelas ações, pelas opções, pelo modo de ser e pelo modo de viver”.

Compartilhe:

Paz e Bem! Chegamos ao fim de uma trajetória online, porém linda e profunda, o último dia do oitavário (11/04) em preparação a grande solenidade e Festa de Nossa Senhora da Penha. Frei Pedro Oliveira, que está a frente da festa, fez o comentário inicial e aproveitou para agradecer a presença fraterna, amiga e apoiadora do presidente da celebração, o Vigário Provincial Frei Gustavo Medella.

“Desde o domingo passado, o Domingo de Páscoa, nós vivemos o tempo chamado de oitava pascal. Oito dias de um desdobramento de um mesmo dia, a Páscoa da Ressureição. Várias figuras são apresentadas nestes dias, alguns dos discípulos, Maria Madalena… Alguns acreditam mais rapidamente pelos sinais que puderam ver, outros tem facilidade de acreditar ao ouvir o testemunho de alguém, outros são mais resistentes, como foi o personagem que aparece hoje em destaque Tomé.

Tomé não se contentou em ouvir o relato dos seus companheiros, mas precisou e quis fazer uma experiência de ver e tocar. Isso vem nos ensinar que a vivência da ressureição, ela é um processo que se constrói durante a história e a vida de cada pessoa, e cada um reage de uma maneira a essas verdades que a fé nos apresenta. Uns são mais lentos, uns mais atirados e mais rápidos como são Pedro, outros são um pouco reservados, mas todos estão convergindo para um desejo profundo para seguir Nosso Senhor Jesus Cristo”. Relatou o frei Gustavo.

Continuou ele: “E assim é ainda hoje a Igreja, na riqueza de nossos carismas, das manifestações da experiência do ressuscitado que homens e mulheres vem fazendo. As Ordens Religiosas, elas são fruto de uma experiência profunda do ressuscitado, que um homem e uma mulher de profunda mística fizeram, no cuidado com um grupo específico, no cuidado com os doentes, como os Camilianos, um olhar atento aos pobres como os Vicentinos, a espiritualidade franciscana que a pobreza de Jesus Cristo é motivo para partilhar a vida dos pobres, e assim vai.

Existe uma unidade, mas não uma uniformidade. Todos sem encontram no espírito de seguir Jesus Cristo, ‘um só coração e uma só alma. Um segundo ponto é a partilha e o desapego, ninguém considerava como própria as coisas que possuía. O verdadeiro cristão tem noção de que os bens existem para servir o ser humano, e não o ser humano existe para servir os bens e consumir a sua vida em favor de acumular tudo para si sem pensar em quem está ao seu lado. Não condiz com a espiritualidade cristã. É necessário esse carinho atencioso, de dividir aquilo que se tem para que não falte nada para ninguém. Desafio fundamental para o nosso Brasil hoje, que se diz cristão. Se fossemos de fato levar a sério aquilo que Cristo pede de nós, nosso país não deveria ser um dos mais desiguais do mundo”.

E por fim destacou: “Outro elemento importante é o testemunho. Os apóstolos davam testemunho da ressureição do Senhor Jesus. O testemunho é algo que se faz pela voz, mas também pelas ações, pelas opções, pelo modo de ser e pelo modo de viver. É algo que transparece as vezes dito, quando não se diz. As pessoas observam o seu modo de agir, a sua generosidade, a sua gentileza, a sua preocupação com os outros. Ali eles estão vendo o seu testemunho, muito mais do que você apresenta, fala, prega e ensina”.

“E por último a dimensão do cuidado. O cuidado de socorrer a cada um de acordo com as suas necessidades. Uma comunidade desapegada, que busca os bens para promover a vida e uma qualidade de vida. Esta partilha promove o socorro dos que mais precisam, são características principais, características importantes de uma comunidade, que se deseja construir enquanto cristã. Vale para a família, para as empresas, ambientes de trabalho, igrejas, para as nossas pastorais. Somos cristãos, então vamos promover a unidade, a partilha a unidade e o cuidado.

Neste Santuário em que veneramos Nossa Senhora da Penha, Nossa Senhora das alegrias, ela nos ensina um recomeçar contínuo, buscando sempre crescer, aprender, aprimorar-se nos valores da nossa fé”. Encerrou frei Gustavo.

A tarde, a programação da Festa da Penha, está cheia de alegria e transmissões. Às 14:00, o interativo Salve Mãe das Alegrias e as 17:00 a live solidária com Pe. Anderson (Paróquia N. S. do Perpétuo Socorro). Acompanhe nas redes sociais, e não perca nada, mas acima de tudo não canse de pedir e rezar.

 

Posts Relacionados

Facebook

Instagram

Últimos Posts

Aquele 13 de maio de 1981

Paz e Bem! Quarenta anos atrás, o dramático atentado ao Papa João Paulo II na Praça São Pedro. Um dia que entrou na memória coletiva

X