Francisco: com a ajuda de Deus, a paz e o desarmamento são possíveis

Compartilhe:

Porém, alertou o Papa após a oração mariana do Angelus nesta quinta-feira (8), “Deus quer a nossa boa vontade. Que Nossa Senhora nos ajude a nos convertermos aos desígnios de Deus”. No Dia da Imaculada Conceição de Maria, o Pontífice também pediu a sua intercessão pela paz, especialmente pela Ucrânia, e lembrou das homenagens a Maria durante a tarde em Roma.

 

O Papa Francisco, após a oração mariana do Angelus nesta quinta-feira (8), de Solenidade da Imaculada Conceição de Maria, saudou primeiramente os participantes do Movimento Cristão de Trabalhadores e os representantes de Rocca di Papa, uma pequena cidade a 30 Km de Roma, que trouxeram uma tocha a Praça São Pedro para ganhar a bênção do Pontífice. Em seguida, do Vaticano ela tradicionalemnte irá acender a “Estrela Cometa de Rocca di Papa”, posicionada na Fortezza degli Annibaldi, de onde tradicionalmente ilumina o Natal dos municípios que compõem os Castelli Romani, aos pés das colinas Albanas, na região italiana do Lazio.

Nas saudações após o Angelus, o Papa também recordou a Ação Católica Italiana que, no Dia de Maria Imaculada, renova a adesão à própria associação de leigos católicos:

“Dirijo meus pensamentos às suas associações diocesanas e paroquiais, encorajando todos a avançar com alegria no serviço do Evangelho e da Igreja.”

Nada é impossível a Deus, nem a paz

Em seguida, o Papa Francisco lembrou da pequena peregrinação da tarde desta quinta-feira (8), quando realiza a tradicional homenagem a Nossa Senhora, primeiro rezando privadamente diante do ícone Salus Populi Romani na Basílica de Santa Maria Maior, em Roma, e imediatamente depois na Praça de Espanha, aos pés do monumento de Imaculada Conceição.

“Peço a vocês que se unam espiritualmente a mim nesse gesto, que expressa a devoção filial à nossa Mãe, a cuja intercessão confiamos o desejo universal de paz, particularmente para a martirizada Ucrânia, que tanto sofre. Penso nas palavras do Anjo à Virgem: ‘Nada é impossível a Deus’ (Lc 1,37). Com a ajuda de Deus, a paz é possível; o desarmamento é possível. Mas Deus quer a nossa boa vontade. Que Nossa Senhora nos ajude a nos convertermos aos desígnios de Deus.”

Fonte: Vatican News | Andressa Collet

Posts Relacionados

Facebook

Instagram

Últimos Posts

São Boaventura: uma voz ainda atual

Por ocasião do 750º aniversário da morte de São Boaventura , que celebraremos no dia 15 de julho de 2024, foi publicada a Carta dos Ministros Gerais

X