maio, 2021

This is a repeating event

21mai07:0107:01São Cristóvão de Magallanes e seus 24 companheiros

Event Details

Paz e Bem!

“Podemos aplicar a passagem de Atos dos Apóstolos 9, 28-29 à situação que o Padre Cristóvão Magallanes e seus 24 Companheiros tiveram de viver, ao serem martirizados no México, nos primeiros trinta anos do Século XX. A maioria destes sacerdotes pertencia ao clero secular, sendo que três desses corajosos religiosos eram leigos seriamente comprometidos no auxílio aos sacerdotes. Estes mártires foram fiéis a Deus e à religião católica, tão enraizada nas suas comunidades eclesiais, às quais serviam promovendo o bem-estar espiritual e material. Hoje, eles servem de exemplo para toda a Igreja e, em particular, para a sociedade mexicana.” Trecho da homilia de João Paulo II.

São Cristóvão de Magallanes, nasceu no dia 30 de julho de 1869, em Totatiche, Jalisco, México. Durante sua infância trabalhava com o pastoreio. Entrou no seminário aos 19 anos e, quando ordenado sacerdote, foi enviado para a paróquia de sua cidade natal.

Tornou-se um sacerdote de grande fé e pastor zeloso que se entregou à promoção humana e cristã de seus fiéis. Foi missionário entre os indígenas e fervoroso propagador do Rosário à Santíssima Virgem Maria.

Em 1917, foi promulgada a constituição anticlerical do México, assinada pelo então presidente Venustiano Carranza, dando início às perseguições religiosas e outras arbitrariedades contra a população no país.

A Igreja se posicionou contra as novas leis e, por isso, foi duramente perseguida gerando a reação da sociedade e dos leigos que se organizaram formando a Liga em Defesa da Liberdade Religiosa. Entrando em confronto, até mesmo armado, com os integrantes do governo.

Uma década depois, em 1926, a situação só tinha piorado. O então presidente Plutarco Elias tornou a perseguição ainda mais violenta, expulsando os sacerdotes estrangeiros, fechando escolas privadas e obras assistenciais de organizações religiosas.

Quando os perseguidores da Igreja fecharam o seminário de Guadalajara, Cristóvão se ofereceu para fundar em sua paróquia um seminário com a finalidade de proteger, orientar e formar os futuros sacerdotes.

Perseguido, em 25 de maio de 1927 foi fuzilado em Colotlán, Jalisco, diocese de Zacatecas. O Papa João Paulo II, em 2000, canonizou vários mártires mexicanos desse período, entre eles São Cristóvão de Magalhães.

São Cristóvão de Magalhães, rogai por nós!

Time

(Sexta) 07:01 - 07:01

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

X