“Eu sou o bom pastor. O bom pastor dá a vida por suas ovelhas” | Reflexão do 4º Domingo da Páscoa

Compartilhe:

Paz e Bem!

Celebramos hoje o 4º Domingo da Páscoa, é o Domingo do Bom Pastor. Jesus se declara o Bom Pastor porque dá sua vida pelas ovelhas. Ele a entrega, não foge do perigo, mas o enfrenta a todo custo, entregando até a própria vida, por suas ovelhas. “Eu sou o bom pastor. Conheço as minhas ovelhas, e elas me conhecem, assim como o Pai me conhece e eu conheço o Pai. Eu dou minha vida pelas ovelhas.”

Jesus se preocupa com cada “ovelha” que porventura vier a se perder, a necessitar de ajuda ou mesmo a congregar num unidade verdadeira, como as ovelhas que formam o rebanho.

Amor e conhecimento. Eis dois importantes pilares que norteiam a prática de Jesus, o Bom Pastor. Que a Igreja, como continuadora deste divino pastoreio, se deixe guiar sem medo por estas atitudes que o Mestre ensina com a própria prática.

A Liturgia deste domingo inicia com Atos 4, 8-12, onde os Apóstolos são questionados pelos Chefes do Povo e Anciãos por terem curado um enfermo. Pedro responde foi o bem, realizado através da invocação do nome de Jesus de Nazaré, aquele morto por ordem deles e ressuscitado por Deus.  Aproveita para dizer que Jesus é a pedra angular rejeitada e desprezada por eles, os construtores do Povo e que não existe nenhum outro nome, debaixo do céu, pelo qual os homens poderão se salvar. Aliás, o nome Jesus significa Deus salva!

Em sua carta, escolhida como segunda leitura – 1 Jo 3, 1-2, o Apóstolo João reforça nossa filiação divina, pois somos chamados de filhos de Deus, o que somos realmente; quando Jesus se manifestar seremos semelhantes a ele porque o veremos tal como ele é.

Essas duas leituras nos falam da grandeza de Jesus. Além do poder salvador de seu nome, seus seguidores, são chamados filhos de Deus e são tornados semelhantes a ele.

Assista a reflexão do Evangelho deste domingo.

Com informações do Portal Vatican News

Posts Relacionados

Facebook

Instagram

Últimos Posts

Aquele 13 de maio de 1981

Paz e Bem! Quarenta anos atrás, o dramático atentado ao Papa João Paulo II na Praça São Pedro. Um dia que entrou na memória coletiva

X