Com a pandemia e seus efeitos econômicos, Brasil volta ao Mapa da Fome

Compartilhe:

FOTO: Guido Dingemans, De Eindredactie/Getty Images

Paz e Bem.

A pandemia do novo coronavírus, que já causou mais de 83 mil mortes no Brasil e uma crise socioeconômica sem precedentes, fez com que a latente ameaça da insegurança alimentar dos últimos anos se tornasse realidade para as populações mais pobres do país.

No ano passado, a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) havia alertado que o Brasil poderia voltar a ser incluído no Mapa da Fome, ou seja, na relação de países que têm mais de 5% da população ingerindo menos calorias que o recomendável. Desde 2014, o país já havia deixado essa lista.

A estimativa do Banco Mundial é que cerca de 5,4 milhões de brasileiros atinjam a extrema pobreza, chegando ao total de 14,7 milhões de pessoas até o fim de 2020, ou 7% da população.

“O Brasil já está dentro do Mapa da Fome. Vamos ter que fazer todo um esforço de reconstrução. Esperamos que um dia se reponha a participação social no país, de forma que possamos, novamente, sair do Mapa da Fome, e oferecer condições de alimentação com comida de verdade para nossa população”, afirmou Francisco Menezes, ex-presidente do Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (Consea), em entrevista ao portal Brasil de Fato

Apesar do peso inegável da Covid-19, ações estão sendo pensadas e instituições estão se unindo para combater a fome em tempos de coronavírus. A própria Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) está junta com a Cáritas Brasileira, por meio da Ação Solidária Emergencial “É tempo de Cuidar”, desde o dia 12 de abril, doando alimentos não perecíveis para as dioceses brasileiras, em várias partes do país. A ação conta também com a parceria da organização não-governamental Ação da Cidadania, fundada pelo sociólogo Herbert de Souza, o Betinho, em 1993.


PROJETO CONDIVIDIR

Não importa quais as razões externas, o cristão é sempre chamado a condividir, apenas porque é cristão. Muitas pessoas estão passando fome e muitas outras necessidades urgentes, por conta da difícil situação econômica agora piorada por causa do Covid-19. Hora de ser solidário e partilhar o que temos e o que podemos fazer. A Arquidiocese de Vitória convoca os fiéis a esta atitude: CONDIVIDIR.

Os Franciscanos do Convento da Penha se unem às pessoas, que motivadas pelo exemplo de Santo Antônio, cultivam o cuidado com os pobres. Na Arquidiocese, todas as paróquias estão apoiando e se esforçando para a campanha que busca congregar doações em prol dos necessitados. Vamos condividir! A caridade é um gesto belíssimo.

“Podemos acreditar na capacidade de transformação do mundo, aliás, é um desafio nosso. Sabemos que a situação está muito complicada, há muitas pessoas com dificuldade – inclusive de comida -, por isso é importante que participemos da Campanha da nossa Arquidiocese, CONDIVIDIR. É um gesto concreto da nossa fé de dividir aquilo que nós temos. É pouco? Mas o pouco com Deus é bastante!”, afirmou Frei Paulo Roberto.

Posts Relacionados

Facebook

Instagram

Últimos Posts

X