Festa da Penha na Mídia

Voluntário produz lanternas de velas para Romaria dos Homens há 20 anos, no ES

Às 6 horas da manhã o comerciante Drauzio Gomes da Silveira, 61 anos, já está de pé para confeccionar lanternas feitas de garrafas pet e velas que serão usadas na Romaria dos Homens, na Festa da Penha. Ele já produziu 7.500 peças, mas a expectativa é que esse número aumente até o próximo sábado, quando a romaria será realizada. A produção, segundo ele, está a todo vapor.

A tradição de produzir lanternas começou em 1997, quando ele já era devoto de Nossa Senhora da Penha, morava em Belo Horizonte, Minas Gerais, e vinha ao Estado para passear e participar da Romaria dos Homens.

“Naquele ano, vi umas pessoas vendendo lanternas na Catedral de Vitória, mas eram muito malfeitas, então decidi que no próximo ano eu faria algo melhor, e em 1998, confeccionei 3.006 lanternas”, lembra.

Desde então, Drauzio não parou mais de fabricar os utensílios, que ajudam a tornar a Romaria dos Homens ainda mais bonita. Já houve ano em que ele chegou a confeccionar mais de 10 mil peças.

Em janeiro de 2013, um Acidente Vascular Cerebral (AVC) quase colocou fim à tradição. Foram dez dias internado, vários exames e, quando todos acharam que era o fim, Drauzio diz que Nossa Senhora da Penha operou mais um milagre na família Silveira.

“Graças a Deus e a Nossa Senhora não fiquei com nenhuma sequela. Ela me ajuda a vida inteira, e eu ter ficado bonzinho foi mais uma ajuda dela”, conta emocionado.

Para confeccionar as lanternas o comerciante conta com doações, tanto de velas quanto de garrafas pet. As pessoas passam e jogam no quintal da casa onde ele vive com a esposa, em Praia das Gaivotas, Vila Velha. “Algumas preferem me dar o dinheiro para eu comprar as velas, até gente que eu nem conheço me ajuda”.

Durante todo o ano, a confecção não para. Drauzio atende no bar da família e quando sobra um tempinho, corre para cortar uma garrafa. Nos meses que antecedem a festa, o bar fica fechado, e a dedicação do comerciante é exclusiva à produção das lanternas. Para isso, ele conta com a ajuda de um amigo, que o auxilia nessa missão há 18 anos.

“Assim como eu, ele é muito devoto de Nossa Senhora da Penha. Tem dias que trabalhamos de 12 a 14 horas”, diz.

A esposa de Drauzio, Maria Carmem Natali, a Carminha, conta que é tanta garrafa pet em casa, que por vezes, fica até nervosa com o marido.

“Às vezes fica uma bagunça, aquele monte de garrafa no quintal, têm dias que não aguento mais ver garrafas na minha frente, mas ele fala que enquanto tiver vida ele vai fazer as lanternas, e eu estarei lá ao lado dele, porque é uma tradição muito bonita. Quando a Festa da Penha se aproxima ele só tem olhos para isso”.

Quem quiser contribuir com doações pode entrar em contato pelos telefones (27) 9 8805 8240 e 99224-1141 ou levar à casa da família. Rua Francisco Domingos Ramos, n° 13, Residencial Andorinhas II, Praia das Gaivotas, Vila Velha.

Fonte: G1ES | http://g1.globo.com/espirito-santo/noticia/voluntario-produz-lanternas-de-velas-para-romaria-dos-homens-ha-20-anos-no-es.ghtml