Tempo Pascal e Festa da Penha: o Convento em festa!

Frei Valdecir Schwambach

O tempo Pascal, período em que comemoramos com grande alegria a Ressurreição de Jesus, traz consigo a Festa de Nossa Senhora da Penha. A origem desta festa, que hoje em dia é a 3ª maior festa religiosa do Brasil, deu-se com a chegada de Frei Pedro Palácios aqui por estas terras, no ano de 1558, que trouxe junto a seus poucos pertences, o painel de Nossa Senhora das Alegrias, ou Nossa Senhora dos Prazeres, como é mais conhecida em Portugal.

A festa de Nossa Senhora da Penha, como dito, originalmente Nossa Senhora das Alegrias, dá-se na semana da oitava da páscoa, porque a ressurreição de Jesus, conforme colhemos da tradição de nossa fé, constitui uma das alegrias de Nossa Senhora. A Festa da Penha, como hoje carinhosamente chamamos, está estritamente ligada à Páscoa: Ressurreição de Jesus.

Louvamos a Mãe de Jesus porque trouxe ao mundo Aquele que por nós morreu e ressuscitou para mostrar qual será nosso “destino”: a ressurreição, a vida; para todos os que viverem o amor e a mensagem profunda de vida que Jesus nos deixou através de sua Palavra e atitude, conforme nos atestam os santos Evangelhos.

Neste período imediato à Páscoa, em que estamos agora mergulhados nos festejos da Ressurreição de Jesus e na Festa da Penha, o Convento todo como que rejuvenesce. Muitos peregrinos sobem ao Convento com alegria redobrada: é tempo da Festa da Penha. Não dá para olhar para tudo isso, vendo os nove dias que compõem a festa repletos de peregrinos que vem ao Convento, e não encher o coração de alegria pela fé que tantas e tantas pessoas vem expressar diante de Nossa Senhora neste belo e singular santuário.

Vivemos nestes dias de festas, a primavera anual do Convento. A identidade deste local é a fé, a religiosidade dos fiéis. A vocação deste santuário é acolher a todos aqueles que precisam de paz, restaurar suas forças, refazer-se espiritualmente para ao descer a montanha, retomar a vida com todas as exigências que carrega consigo.

Percebemos nesta festa que a fé das pessoas é algo vivo. Pela fé muitos vivem; mantém-se em pé porque a fé não as deixa sucumbir. Para pedir graças, ou para agradecer, ou só para olhar, milhares de fiéis subirão a ladeira nestes dias de fé, alegria e encontro. Além de pedir e agradecer, é necessário também aprender sempre com a Palavra de Deus, que nos apela para sermos bons. Nosso exemplo é sempre Jesus. Nossa Senhora nos ensina também os passos certos para seguirmos seu Filho.

A Festa de Nossa Senhora da Penha é uma festa de integração. Diversas cidades dos extremos do Estado do Espírito Santo nestes dias, virão ao Convento. Aqui se encontrarão pessoas vindas do Norte e do Sul, do Leste e do Oeste, assim como de outros Estados brasileiros. Uma festa para integrar a todos, criar comunhão, despertar a fé. Talvez muitos dos que aqui virão nestes dias, esperaram o ano inteiro para viajar e aqui passar alguns momentos, assistir a uma missa, ou quem sabe, apenas para passar em frente à imagem da padroeira do Estado, para que ela olhe pelas suas súplicas e aceite os agradecimentos!

Seja bem-vindo, caro devoto, à Festa de Nossa Senhora da Penha.

Compartilhe e evangelize:

Imprimir
Copyright © 2017 Franciscanos.org.br - Todos os direitos Reservados.