Destaque 2, Notícias › 03/04/2016

Rio Doce: “Vivemos uma situação de morte”

alto1

Moacir Beggo

Vila Velha (ES) – O lamento do bispo Dom Wladimir Lopes Dias, foi feito neste domingo, 3 de abril, durante a Celebração Eucarística que reuniu no Campinho, no Morro do Convento da Penha, a Romaria da Diocese de Colatina. Dom Wladimir se referia especialmente à tragédia ambiental e social que devastou a sua Diocese.

Durante o Ato Penitencial, os romeiros apresentaram no altar três garrafas contendo a água do Rio Doce, que foi destruído pelos rejeitos de minério da barragem da Samarco. Dom Wladimir rezou pelas pessoas que foram vítimas desta tragédia ambiental e social, ocorrida no dia 5 de novembro do ano passado e que cortou a Diocese de Colatina, entrando pelo Baixo Guandu, passando por Colatina, Linhares e atingindo o Oceano.

“A lama de rejeitos de minério chegou ao Espírito Santo há mais de quatro meses e com ela uma avalanche de problemas ambientais e sociais que continuam até hoje. Além de pescadores, agricultores, artesãos e comerciantes, a população em geral também foi prejudicada. As praias de Regência, Povoação e Comboios, todas em Linhares, continuam preventivamente interditadas. Em Baixo Guandu, pescadores e agricultores contabilizam prejuízos até hoje. Toda a população foi prejudicada. Vivemos uma situação de morte. A tragédia ambiental anunciada é considerada sem precedentes no Brasil. 19 pessoas morreram e um corpo ainda não foi localizado. Esse acontecimento não pode ser esquecido por nós, pela sociedade, pelo Poder Público e pelos responsáveis”, denunciou o bispo.

alto

Segundo o bispo, a crise no Norte capixaba pode se agravar. “Vivemos também uma crise d’água, que eu chamaria de estado crônico de escassez. Necessitamos urgentemente de uma gestão hídrica no Estado do Espírito Santo. Corremos um sério risco de vermos o território de nossa Diocese, por exemplo, transformado num sertão. O sertão capixaba. A lama, a crise d’água, as agonias enfrentadas pelas cidades capixabas no tempo presente nos deixam imensamente preocupados. Mas não podemos perder esperança. Vamos interceder junto a Nossa Senhora da Penha, Padroeira do Espírito Santo. Que tenhamos muitas luzes e que seja aberto um amplo debate  pela sociedade sobre a criação de um modelo de sobrevivência e desenvolvimento capixaba, que inclua a todos”, pediu Dom Wladimir.

No final da celebração, na saída do convento, a Diocese entregou  a todos um manifesto falando sobre a tragédia ambiental e social na região. “Exigimos que os governos federal e estadual atuem, de maneira incisiva, junto ao Congresso Nacional para que os projetos que alteram a legislação ambiental e o marco regulatório da mineração não coloquem o lucro e a produtividade acima da vida, pois esses dois fatores acabam agilizando e facilitando os processos de licenciamento ambiental para a extração do minério de ferro”, lembrou o manifesto.

luz

Dom Wladimir acompanhou a Caravana de 3o ônibus que veio de sua Diocese neste domingo (3/4) para homenagear Nossa Senhora da Penha. Ele reuniu todos os peregrinos no portão principal do Morro do Convento e subiu com os devotos rezando e cantando. Ele presidiu a Celebração Eucarística das 9 horas no Campinho.

Na sua homilia, Dom Wladmir lembrou que a primeira aparição narrada pelo Evangelho deste domingo, Jesus comunica cinco dons muito importantes:

  1. O dom da paz. A paz esteja convosco, disse Jesus aos discípulos. Basta de violência. Você e eu somos missionários da paz.
  1. O dom da alegria. Eles se alegraram por ver Jesus. O Papa Francisco escreveu na Exortação “Alegria do Evangelho” de 2013 que há cristãos que parecem ter escolhido uma quaresma sem páscoa. Todos nós temos problemas, passamos por dificuldades, mas a alegria que vem de Deus vai além de nós. Quem se encontra com Jesus, com o Ressuscitado, experimenta essa alegria. O encontro com Jesus nos enche de alegria e convida à conversão e ao discipulado missionário.alto3
  1. O dom da missão. Como o pai me enviou eu também vos envio. A Igreja continua a ação evangelizadora de Jesus. E diante de tantos desafios, o Papa Francisco afirma que é cada vez mais urgente nos perguntarmos o que Deus pede a nós. A Diocese de Colatina, com a 9ª Assembleia Diocesana de Pastoral em andamento faz repercutir a exortação do Santo Padre. O que Deus pede a nós, a Assembleia Diocesana é o ponto mais alto de uma Igreja particular.
  1. O dom do Espírito Santo. Recebei o Espírito Santo. Devemos evangelizar a partir de Jesus Cristo na força do Espírito Santo como Igreja discípula, missionária, profética e misericordiosa. Peçamos ao Espírito Santo que nos fortaleça na fé no Cristo Ressuscitado para que aqueles ainda não creem possam através do nosso testemunho abrir o coração ao Evangelho e glorificar a Deus nosso Pai, rico em misericórdia, que sempre acolhe a todos.

alto4

  1. O dom de perdoar os pecados. A quem perdoardes os pecados, eles serão perdoados. A quem não perdoardes, eles serão retidos. Jesus infunde nos discípulos o Espírito Santo e lhes dá o poder de perdoar os pecados. Jesus manifesta, assim, o coração misericordioso de Deus para conosco. Por causa desse Evangelho, que nos fala do perdão, da misericórdia, hoje 2º domingo de Páscoa, celebra-se o Domingo da Divina Misericórdia. Essa devoção foi difundida por Santa Faustina, irmã da Congregação de Nossa Senhora da Misericórdia. Recorramos sempre à misericórdia divina, especialmente no sacramento da penitência. É de suma importância redescobrir o Sacramento da Reconciliação como penitentes e ministros. O Papa Francisco destacou no início do Jubileu que os sacerdotes devem sempre entrar no confessionário com a noção de que são apenas ministros de Cristo e que eles próprios precisam do perdão de Deus. Vamos continuar motivando com profundidade e riqueza o Ano Santo da Misericórdia.

Dom Wladimir terminou com uma oração:

Virgem da Penha, em suas mãos entregamos toda a nossa caminhada diocesana. Nossas preocupações, necessidades, problemas abordados e desejos que trazemos em nosso coração. Obrigado, Virgem da Penha, por todos os benefícios que nos tem concedido. Obrigado por Jesus Cristo, Vosso Filho, rosto visível da misericórdia do Pai. Virgem da Penha, Maria, Mãe e Porta da Misericórdia. Amém!

CONFIRA MAIS IMAGENS DA ROMARIA DE COLATINA NA GALERIA 


ROMARIA DOS MOTOCICLISTAS

Cerca de 7 mil motociclistas participaram da Romaria dos Motociclistas na manhã deste domingo, 03 de abril. Após a tentativa de envio do Pe. Marcelo Margon, na Praça Costa Pereira, Centro de Vitória, os romeiros seguiram até o Parque da Prainha. Na chegada, Frei Edvaldo, Frei Diego e Frei Alan conduziram o momento de oração e exortaram sobre a observação nas leis de trânsito. Os motociclistas louvaram Nossa Senhora com buzinaço, ergueram seus capacetes e receberam água benta.

diego

 

Compartilhe e evangelize:

Imprimir
Copyright © 2017 Franciscanos.org.br - Todos os direitos Reservados.