Eventos Notícias

Lembranças de um Natal: Noite histórica e emocionante

Compartilhe esta notícia:

Paz e Bem!

A celebração do nascimento de Jesus é uma tradição entre as famílias e possui uma grande importância para a Igreja. Está no calendário litúrgico com as celebrações, vigílias, orações, novenas e o tempo de preparação, além de estar também destacado no calendário civil-comercial, como uma das principais datas do ano. O nascimento de Jesus, sobretudo neste tempo, é retratado de diversas formas. Através de canções natalinas, cânticos, teatros, filmes, livros, presépios, enfeites e muitas outras formas de contextualizar a “Noite Feliz” redentora. Estas formas de celebrar o Menino Deus, trazendo memórias, lembranças de símbolos também da história da encarnação do verbo, onde em uma simples e humilde manjedoura nasceu o salvador.

Celebrando a festa de Deus que se fez menino, foi realizada na noite da última sexta-feira (14/12), no Santuário Divino Espírito Santo, o 2º Concerto de Natal da Paróquia do Rosário e dos franciscanos de Vila Velha. “Lembranças de um Natal”, uma noite histórica, inesquecível e emocionante, com a participação de crianças, jovens, adultos da paróquia, dos Freis e de um grupo de surdos.

Após quase dois meses de organização e ensaios, o Concerto que nasceu no coração dos Freis Leandro, Florival e Djalmo, foi magnificamente apresentado, tendo como objetivo, também unir cada vez mais os paroquianos, devotos, fiéis e a fraternidade.

O evento teve início às 19h30, com a abertura feita pela produtora e uma das organizadoras, Gabriela Spalla. Ela deu as boas-vindas a todos e brevemente falou um pouco do que o público iria assistir.

Em seguida, as luzes se apagaram e sons de chuva, vento, pássaros, ambientavam os momentos iniciais. A voz do Frei Florival narrava o início da história:

“No princípio era o Verbo, e o Verbo estava junto de Deus e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio junto de Deus. Tudo foi feito por ele, e sem ele nada foi feito. Nele havia vida, e a vida era a luz dos homens. A luz resplandece nas trevas, e as trevas não a compreenderam…”

Na sequência um quarteto vocal do Santuário entoou a canção: “Oh! Vinde adoremos, Oh! Vinde adoremos, Oh! Vinde adoremos o Salvador!” (Cristãos, Vinde Todos).

As crianças foram as próximas a se apresentar. O Coro de Crianças e Adolescentes, introduziu o cântico “vamos todos celebrar, hoje é dia de folia, Jesus nasceu, glória a Deus! Que alegria!”, de um jeito um tanto quanto cultural, com a cara do povo. Quando o menino Daniel entrou, a “folia” ficou completa, com o “ritmo nordestino do Forró dos Anjos”. Ainda com a presença das crianças, as nove lavadeiras entraram e começaram o desenvolvimento da história. Com bacias, roupas e vestidas tipicamente com vestidos coloridos, elas dançaram o forró e depois sentaram, ilustrando o cenário das lavadeiras de roupas de antigamente. Em determinado momento das “conversas de lavadeiras”, uma delas sugeriu: “Acho que tive uma ideia muito da boa. Já que esse povo todo veio aqui para nos ‘espiá’, a gente chamasse aqueles nossos dois amigos… Maria e José!”

Frei Leandro Costa entrou em cena interpretando o pai de Jesus, José e a jovem Mariana Daleprani fez a interpretação de Maria, sua esposa e mãe de Jesus. Duas interpretações impecáveis. Eles entraram conversando, relatando a história do nascimento e da vida de Jesus, a partir da experiência deles. José segurava um “álbum com as muitas pinturas e os relatos dos escritos de Lucas”. A cada folha que eles iam passando, davam risadas e Maria demonstrando emoção por “recordar o nascimento do Menino Deus. Foi aí que então, para ambientar melhor a história, uma jovem interpretou a canção “Magnificat”, do Evangelho primeiro de Lucas: “o Senhor fez em mim maravilhas, Santo é Teu nome…” com presença de um anjo perto de Maria e de José, representando a anunciação. Os olhares dos fiéis já demonstravam bastante emoção. O fim da primeira parte da história foi após a interpretação de outro canto das crianças e adolescentes.

O momento mais emocionante e reflexivo ainda estava por vir. Um grupo de deficientes auditivos composto por 15 pessoas integrantes da “Pastoral dos Surdos”, foi regido por Brígida, Kátia e Romulo. Eles interpretaram uma vesão em libras, da música “Noite Feliz”, com o solo de uma criança no refrão e do saxofone alto que climatizou o refrão meditativo e emocionante. Não havia quem não se emocionasse. Ainda com a presença dos surdos, foi apresentada a música “Trem-Bala”, provocando ainda mais emoção e “aplausos em libras” do público. A partir daí foi muita emoção.

Depois de ouvirem mais um pouco da história de Jesus contada por Maria e José, o grupo vocal do Santuário, voltou ao palco para interpretar “oh meu Menino Jesus” e “Natal todo dia” com solo de Kleiton da paróquia. Logo em seguida, José (Frei Leandro) cantou “José Humilde Artesão”, após, entra o Menino Jesus e pergunta aos pais sobre seu nascimento. Os pais de Jesus começam a contar pra ele. Iam intercalando as canções com a história, sempre repetindo: “Lava, lava, lavadeira, limpa o sujo, limpa a sujeira. Lava, lava, lavadeira, na barranca da ribeira”.

Já na metade do espetáculo, o grupo vocal Sagrada Família, apresentou a belíssima canção “Aleluia!”. A afinação, harmonia e entonação foram os destaques do grupo.

O grupo deu lugar a orquestra de violões. Repertório de “Ode à Alegria, de Bethoven” e “Anunciação”, já com todos no palco. Com presença novamente dos surdos com os rostos pintados, Frei Florival saiu da plateia e cantou “Eu quero apenas”, de Roberto Carlos. Todos cantavam o refrão: “eu quero ter um milhão de amigos e bem mais forte poder cantar…” Após ele entrar no meio dos surdos, fez o refrão final em libras, emocionando muitas pessoas.

Seguindo o espetáculo, foi a vez do Frei Paulo César, do Convento da Penha, cantar “Ave Maria do Morro” indo do grave ao agudo, soltando a voz e encantando a todos com a bela e afinadíssima voz. O público aplaudiu com muito entusiasmo.

Finalizando o inesquecível espetáculo, Frei Florival cantou “Os Pastores”, com o coral das crianças e adolescentes. Por fim, enquanto cantavam “Feliz Natal”, foi erguido um varal onde Maria, José e as lavadeiras estendiam as roupas e lençóis.

Frei Djalmo Fuck agradeceu e disse “algo do fundo do coração”.  “Foi uma noite de prece, oração, comunhão e principalmente inclusão, onde todos puderam festejar o Menino Jesus. Foi o Natal mais inclusivo que já celebramos… Um feliz e abençoado Natal!”

Confira algumas fotos do espetáculo abaixo.

Colaboração de fotos: Paróquia do Rosário.
Texto do espetáculo: Frei Paulo Roberto Pereira
Produção do Concerto: Gabriela Spalla, Romulo Madureira, Gracia Maria e equipe do Santuário
Reportagem especial: Cristian Oliveira

EXIBIÇÃO DO ESPETÁCULO LEMBRANÇAS DE UM NATAL

O Convento da Penha vai realizar uma exibição especial do Espetáculo Lembranças de um Natal, em três capítulos. O primeiro vai ao ar no dia 22 de dezembro, o segundo no dia 23 e último, no dia 24. Para acompanhar é só acessar o site do Convento ou a página oficial no Facebook.

Não perca! Você não vai se arrepender!

Faltam

31Dias 19Horas 38Min 55Seg

para a Festa da Penha 2019

Eventos

DomSegTerQuaQuiSexSab
 

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

31

 
 « ‹mar 2019› » 

Saiba mais

Facebook