Eventos

Área Benevente cobre o Campinho de bênçãos

Foi assim, cobrindo com um grande manto de Nossa Senhora da Penha, que a Área Pastoral Benevente, responsável pelo quarto dia do Oitavário, concluiu a Celebração Eucarística nesta quarta-feira, 19.

O clima em Vila Velha hoje estava fechado, com chuva em boa parte da manhã, o que fez com que os fiéis fossem preparados para o Campinho, munidos de sombrinha e capa de chuva. Mas São Pedro colaborou e a chuva só veio no final da celebração, e muito fraca. Antes da Eucaristia e do Momento devocional, os presentes acompanharam uma apresentação da banda dos alunos do Colégio Marista, de Vila Velha.

A Missa foi presidida pelo Pe. Gudialace Oliveira, da Paróquia Nossa Senhora da Conceição, de Guarapari, tendo como concelebrantes os padres e diáconos da Área Benevente e os frades do Convento da Penha, do Santuário Divino Espírito Santo e de outras fraternidades.

Este foi o pedido de Pe. Jacqueson Pimentel na homilia deste quarto dia do Oitavário em honra a Nossa Senhora da Penha. O evangelho do dia, extraído de Lc 24, 13-35, fala dos encontro de Jesus Ressuscitado com os Discípulos de Emaús. Em sua pregação, o sacerdote encorajou os fiéis a não serem temerosos, como os discípulos do evangelho que desanimaram diante da dificuldade. “Todos nós enfrentamos em algum momento de nossas vidas uma cruz. Muitos de nós não queremos assumir a responsabilidade que temos de dar testemunho de fé diante das situações. A Ressurreição de Jesus vem trazer esperança ao nosso coração. O Senhor não quer que nós fujamos das situações de morte que existem em nossas vidas”, afirmou o pregador.

A partir do exemplo dos Discípulos de Emaús, o religioso deu duas pistas para os fiéis persistirem na caminhada: a Palavra e a Eucaristia. Ele afirmou que é a partir da vivência da Palavra e da força da Eucaristia que os cristãos podem viver plenamente sua fé. “A experiência do Ressuscitado é voltar para encarar os desafios”, concluiu, dizendo que o testemunho deve ser vivido em todos os lugares, não somente na comunidade de fé, transformando a sociedade num lugar melhor e mais humano.

MOMENTO DEVOCIONAL

Na meia hora que precede a Celebração Eucarística, os fiéis são convidados a rezarem com os frades o Momento Devocional, um tempo de oração a Nossa Senhora da Penha, recordando Frei Pedro Palácios. A oração de hoje foi conduzida pelo Definidor Provincial, Frei Gustavo Medella e por Frei Gabriel Dellandrea, do Serviço de Animação Vocacional (SAV).

Na oração, os frades falaram sobre a perda, recordando a passagem em que Maria e José perdem Jesus no Templo, Frei Pedro Palácios, quando perde a estampa de Nossa Senhora das Alegrias e Nossa Senhora das Dores, quando perde Seu Filho na Cruz, para encontrá-lo em seguida ressuscitado. Em sua reflexão, Frei Gustavo Medella falou aos fiéis que no momento de perda, é preciso se manter firme na esperança para procurar aquilo que foi perdido.

Em seguida, o religioso recordou a situação política e social do país. “E se falarmos no nosso Brasil? O que o nosso povo tem perdido nos últimos tempos? Quem vai pagar este prejuízo, quando nós vemos um projeto de reforma da previdência que quer tirar do aposentado o pouco que ele já tem?”, questionou o frade, que provocou os presentes a irem atrás daquilo que está sendo tirado do povo brasileiro. Ao final, ele comentou a carta do Papa Francisco, enviada ao Presidente Michel Temer, onde ele expressa sua preocupação com o país e com os brasileiros, afirmando que teme que recaia sobre os pobres a solução de um problema que tem raízes muito mais profundas.

Na noite desta quarta-feira, o Campinho receberá uma apresentação do Grupo de Teatro Shalom, a partir das 19h30.

Texto e foto: Érika Augusto | www.franciscanos.org.br